domingo, 29 de abril de 2012

Sobre a nova rotina

Há um tempo queria escrever este post sobre a rotina da vida norte-americana. Bom, da NOSSA vida norte-americana, porque, em 3 semanas, não dá pra saber da rotina de um povo todo, mas da nossa vida, podemos falar. Dia desses, fazendo as compras, nos deparamos com as luvas amarelas de limpeza. Aquelas que a mãe do DEXTER usa em todos os episódios. Eu e minha mania de economizar, acabei achando as tais luvas caras (tenho vergonha até de falar o preço...) e não comprei. Pois bem, chegou o dia de lavar os banheiros. (Sim, tem o dia de lavar, que será sempre `as quintas-feiras, conforme o schedule que eu e minha mãe montamos). Eu, toda empolgada com aqueles produtos todos, com cheirinho disso e daquilo, água sanitária em spray, lenços descartáveis de limpeza, uma maravilha!!!) Resultado:  Banheiro limpo e cheiroso... e mãos detonadas! No outro dia, Saí pra comprar as benditas luvas. Custaram menos de dois dólares.

***
Dia desses, o pessoal da loja de móveis veio entregar o recliner que o Christiano comprou. Trata-se de uma poltrona super-hiper-mega confortável que reclina até virar quase uma cama. Quando está na posição sentada, sem reclinar, também é uma cadeira de balanço. Como eu ia dizendo, chegaram os entregadores. Eu e mamãe estávamos prontas pra ir pra piscina com as crianças, tivemos que nos enrolar `as pressas nas nossas cangas, como se fossem vestidas. Pois bem, a minha era a bandeira do Brasil, e o cara logo percebeu que éramos brasileiras (ninguém se enrola numa bandeira que não seja a sua própria, eu acho). Eram dois, os entregadores. Um latino e um afro-americano. Bem, o segundo era um cara de 2m de altura. Começaram a puxar papo, falar do Brasil, que devia ser lindo, samba, carnaval. (Isso é tudo que eles sabem do Brasil, poxa?) Eu comecei a ficar com medo do povo. Lembrava dos episódios de Criminal Minds que a gente assistia. Vai que eles achassem que eu estava dando moral?? E eles continuando: samba, carnaval, mulheres bonitas, lambada...(até lambada??) Aí, não segurei e mandei essa: "Vcs sabiam que nem todo o mundo no Brasil gosta de carnaval? Que nem todo o mundo sabe sambar? E quase niguém lá dança lambada?" Os caras saíram rapidinho. Se era só isso que sabiam do Brasil, eu não ia perder meu tempo. Mas, eu fiquei foi com medo, mesmo.

***
Antes de vir pra cá, eu estava tão preocupada com os trajes de banho, que deixei os meus no Brasil. Eram bem descentes para os padrões brasileiros, mas acho que eram meio escandalosos para os padrões norte-americanos. Moral da história, fiquei de comprar aqui. Acontece que aqui no condomínio tem piscina e as meninas gostam de nadar, tive que me virar com o biquíni da Julia. A parte de cima, ok, mas a de baixo não serviu. Resolvi ir nadar de short. Pense numa marmota! O povo aqui achando que eu era muçulmana, eu acho.

***
Compramos o carro. Um Toyota Sienna perfeito. Nunca tivemos um carro tão bom. Tem 7 lugares, é enorme (como tudo nesse país) e muito confortável. Pra quem tinha um Astra e um Prisma no Brasil, é uma diferença e tanto. Tive que dirigir na América, não teve jeito. Fico com medo, ainda estou insegura. Houston tem um trânsito terrível e é muito fácil  se perder, mesmo com GPS. A gente entra errado e aí vai parar lá nos cafundó.(aconteceu comigo essa semana, infelizmente.) Além disso, abastecer o carro também foi uma aventura. Porque toda vez que a gente vem, o Christiano é quem aluga o carro.  Isso significa que ele também dirige e abastece.(aqui não tem frentista). E eu nunca me liguei nessas coisas. Acontece que o sinal da bomba de gasolina acendeu e eu estava dirigindo. Aí, e eu pensei: vou ficar na rua! Não sei abastecer nos States! Socorro! Estávamos eu e a Julia. E ela dizendo: Mãe, se vira, você não é quadrada.( com toda aquela doçura que lhe é peculiar..., mas com razão). O jeito foi encarar o medo. Entrei no posto, observei os outros. Pus o carro do lado da bomba e... congelei. Não sabia o que fazer. Voltei pra dentro do carro, a Julia morrendo de rir. Vale lembrar que, aqui nos EUA, deixar o carro parar por falta de gasolina dá multa alguns muitos dólares. E eu não queria que isso acontecesse. Fiquei pensando em uma saída. Resolvi estacionar o carro, entrar na loja de conveniência do posto e... falar a verdade!!  Na cara dura, mesmo. Falei pro senhor do caixa que eu não sabia o que fazer, que era minha primeira vez dirigindo nos EUA, que eu havia mudado há 3 semanas e estava sem gasolina. O senhor foi super gentil, perguntou de onde eu era. Disse que tinha parentes no Brasil. Foi lá na bomba e me ensinou passo-a-passo o que fazer. Eu perguntei de onde ele era, ele disse que era árabe. Aí, ele ficou meu amigo, quando eu disse que também era de origem árabe. Perguntou de onde eram meus parentes, e disse que eu parecia familiar... Hehehe! Finalmente, abasteci. Não foi nenhum bicho de sete cabeças, mas pelo menos umas três cabeças, ele tinha...

***
Quero agradecer a Deus pelas pessoas que Ele tem colocado em nosso caminho, nos ajudando nos pequenos detalhes, como esse senhor árabe que me ajudou no posto. Também pelo RICHMOND ANSAH ( o cidadão de GANA que nos vendeu o carro)  e pela AGATA (nossa gerente do Bank of America que é POLONESA e adora  brasileiros). Nos pequenos detalhes, pessoas que também são imigrantes facilitam a nossa vida aqui. Ebenézer!
(Pra quem não sabe o que significa: ATÉ AQUI NOS AJUDOU O SENHOR!







segunda-feira, 23 de abril de 2012

Treinamento para incêndio

Hoje, na escola da Julia, teve um treinamento para todos os alunos, sobre o que fazer em caso de incêndio. TODOS os alunos tiveram que evacuar o prédio da escola.  Alguns deles voltaram para pegar os materiais e os professores avisaram: "Pessoal, vocês estão tentando sobreviver: deixem os materiais e saiam o mais rápido possível!!" Foi super realista. Achei interessantíssimo, porque em todos esses anos no Brasil, ela nunca passou por nenhuma coisa do gênero. Por isso, infelizmente, temos tantas tragédias: porque as pessoas não estão preparadas para as emergências. Sei que nem tudo é perfeito aqui, mas tem que coisa que com certeza, é melhor. Vamos absorvendo o que eles têm de bom...

CHILDREN'S MUSEUM

No nosso segundo domingo aqui, fomos ao Children's Museum of Houston.  Ficamos pouco tempo, não deu pra ver metade das coisas. Mas, não temos pressa. Ficamos membros também. É sempre a melhor opção pra quem mora aqui.   As quintas-feiras das 5-8pm  são FREE Family Day. Isso significa que todos podem ir ao museu de graça. É uma forma de beneficiar as pessoas que não podem pagar a entrada. Mas, são sempre lotadas, como podemos imaginar. Outra coisa interessante é que aos domingos, o museu só abre meio-dia. SABEM POR QUE? Porque DOMINGO de manhã é dia de ir `a Igreja!







HOUSTON ZOO

Fomos ao ZOO no nosso primeiro domingo em Houston. Todos se divertiram muito.
As "gimafas" fizeram tanto sucesso, que todos os dias a Lalinha quer ir ao Zoo. Ainda bem que somos membros. Isso significa entrada livre o ano todo pra família toda em qualquer ZOO da América.





                                                Olha só a Júlia se divertindo, também!!




domingo, 22 de abril de 2012

Primeira semana na América

Internet em casa. Nem acredito...
Pra falar a verdade, nem fez muuuuita falta, porque tivemos tanta coisa pra fazer, que nem daria tempo de conectar, mesmo.
Enfim, nesses 10 dias, a quantidade de coisa que fizemos foi sobrenatural. Vou tentar resumir, para não ficar cansativo. Porque cansa só de ler, minha gente!!

D0
Domingo de Páscoa.
A saída do Brasil foi um pouco estressante: muitas malas(11pra despachar, 11 de mão!!), terminal de embarque mudou de última hora, Christiano sacando dinheiro enquanto eu fazia o check-in com meu pai, as meninas pegando fogo no Galeão, a Júlia fazendo drama... Sorte que tinha muita gente ajudando. Praticamente a família inteira. O voo foi excelente. As crianças dormiram o voo todo.

D1
Segunda feira, 09 de abril.A chegada nos EUA foi ótima, mas passamos por um lugar diferente dessa vez: o volume de malas e a declaração de bens nos fez passar por um controle mais rigoroso. Mas, tudo em paz, tudo tranquilo.
Tínhamos alugado dois carros para caber a quantidade de malas, mas como eu não havia trazido cartão de crédito(olha o golpe!!), não pude dirigir. Tivemos que trocar o carro por um maior e fazer milagre pra caber tudo num carro só. Eu fiquei só olhando, porque, no meio disso tudo, minha coluna estava um caco. Eu estava andando que nem um tico-tico. Entrevada. (olha o golpe, de novo!) Nossa, sério. Achei que ia chegar direto num PS, ou melhor dizendo, ER. Hoje, depois de quase um mês tomando AINE e de uns 10 dias de Codeína, estou em perfeito estado.
Depois de conseguir a façanha de colocar 22 malas, 3 crianças (nas cadeirinhas) e 3 adultos em um carro, fomos ao condomínio pra pegar as chaves e entrar na nossa nova casinha. Como o processo demoraria uma hora e meia, fomos para uma loja de colchões comprar as camas. O carro lotado. E as meninas, junto. Pós voo internacional. Compramos as camas  fomos pra casa. Eu e o Chris deixamos todos em casa e fomos fazer compras. Porque seria preciso lençol pra todo mundo, além de sabonete, shampoo, toalha, cobertor, travesseiro,etc. E comida, né? Aí, pra fazer comida, precisa de panela. E prato, copo, garfo, colher, faca, etc.. Ou seja, montar uma casa com itens de primeira necessidade. Algumas coisas compramos no COSTCO e outras no WALMART.
Depois disso tudo, Chris, Júlia e Laura foram ao aeroporto lá nos "cafundó do Juda" devolver o carro (Suburban) - porque era praticamente um ônibus - e pegar outro (Grand Caravan) - que é praticamente um micro-ônibus. As camas chegaram por volta das 17:30. Eu já tinha comprado, lavado e secado todos os lençóis. Todos dormimos nas nossas novas camas, com roupa de cama novinha, cheirando a amaciante. Este foi o final do primeiro dia.

D2
Terça-feira, 10 de abril. Passamos o dia olhando móveis pra casa nova. Como já temos as camas, restam sofá e mesa, praticamente.  Pesquisando preços. Também fomos olhar planos de celular e TV a cabo. Compramos a televisão. Fomos ao TEXAS DEPARTMENT OF PUBLIC SAFETY  pra fazer nossa identidade, mas a fila estava enorme, as crianças estavam no carro, então, desistimos. Mais compras pra casa. Vassoura, rodo, produtos de limpeza, cabides, essas coisas que a gente não comprou "de cara", na primeira compra.


D3
Quarta, 11 de abril
Fizemos nossas identidades americanas, Eu, Chris, Julia e Beatriz. Bia teve que assinar, acreditam? Eu falei que ela nao sabia escrever. Não interessa. Teve que assinar, mesmo assim, Fez lá uns hieróglifos e saiu com a carteirinha de Texas ID. A tarde, abrimos nossa conta no BANK OF AMERICA. Nos sentimos mais moradores, agora, ao invés de turistas. Nossa gerente é um doce, chama-se AGATA, é polonesa e teve uma amiga brasileira que morreu com tumor cerebral, Ficou feliz de conhecer brasileiros e ouvir um pouco e português...

D4
Quinta, 12 de abril
Fomos atras de olhar móveis. Começamos em GOODWILLs e Thrift Stores da vida. Também olhamos em lojas de segunda mão. Não deu. Nem era tão barato, e achei tudo muito ruim. Sei que se acham boas coisas, mas precisa de tempo e paciência, e no momento, eu não tinha nenhum dos dois. Acabamos comprando quase tudo no IKEA. Marcamos o teste da Julia para amanhã.


D5
Sexta, 13 de abril
Julia ficou no WELCOME CENTER a manhã toda fazendo a análise de histórico e os testes de inglês. Precisava tirar 40% em writing, reading and listening. Tirou 58%, 82% e 100%, respectivamente. Mandou bem! Congrats! A tarde, escolhemos mesa e sofá.


D6
Sábado, 14 de abril
Internet e linha telefônica escolhidas e contratadas. Demora uma semana pra instalar, infelizmente.


D7
Domingo, 15 de abril
Houston Zoo.
Porque ninguém é de ferro. E até Deus descansou no sétimo dia. E viu que tudo era bom!!!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Primeira foto na nossa casa nova


Chegamos!!

As atividades dessa semana foram intensas e as emocoes, idem. Perdoem-me a falta de acentos, mas ainda nao sei como coloca-los nesse computador. A internet foi contratada hoje, mas sera instalada apenas em uma semanas por isso, a dificuldade em manter o blog em dia. No momento, estamos na academia do condominio, usando a internet da area comum. Me sinto meio farofeira, o povo malhando e eu sentada numa cadeira dessas de fazer exercicio com as pernas, usando o laptop. Rs!
Enfim, resolvi dar uma breve passada por aqui no blog apenas para postar algumas fotos e falar que esta tudo bem. Nao vou conseguir resumir tudo o que vivemos nos 'ultimos 7-8 dias.
Mas, vale dizer que a despedida do Brasil foi 'otima, cercada de fam'ilia e amigos. 
Resumo da 'Opera:
Em Goiania, a Dinda nos preparou uma deliciosa noite de caldos, com a ajuda da Cleia  e dos meus pais. Obrigada a todos pelo carinho! A mudanca so foi possivel com a ajuda do Leo e do Dindo. Thank you, very much too!!  No aeroporto, me emocionei ao ver minha amiga Tathiana, 5:30 da manha, com aquela barriga imensa, me esperando para se despedir de mim pessoalmente. Choro s'o de lembrar...No Rio, a despedida foi em grande estilo, com direito a churrasco, Pao de Acucar, bondinho e vista do Cristo Redentor. Obrigada Fabricio e familia do Christiano por todo o carinho.
Ao meu pai, um grande muito obrigada!! De ultima hora, foi ao Rio conosco e nos ajudou muito com tudo, com a Julia, e desde as malas ate o check-in, junto com tia Nena e tio Dani. 
Sogrinha querida, muito obrigada de novo! Sem voce, eu tamb'em nao teria conseguido!! 
                                        Dia da mudanca, todas as meninas agitando na banheira.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

ÚLTIMO DIA NO HEMOCENTRO


"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho  dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita, de dia e de noite. Ele será como árvore plantada junto a ribeiro de águas, que no devido tempo dá o seu fruto, sua folhagem não murcha, e tudo quanto fizer, prosperará."Salmo 1:1-3

Hoje foi meu último dia como Diretora Técnica do Hemocentro de Goiás.Também foi meu último dia de trabalho no Brasil. A Julimara, farmacêutica, encontrou comigo e me disse esse Salmo.
Fiquei muito feliz pelo carinho , mas acima de tudo, me conscientizei do impacto que eu causei nas pessoas em tão pouco tempo na Diretoria.  Como gestora, não fiz grandes coisas. Não se faz grandes coisas em Saúde Publica no Brasil em seis meses. Me resumi a apagar incêndios, evitar crises e começar projetos que outras pessoas finalizarão (Tomara!). Mas, se deixei para aqueles funcionários alguma coisa, que tenha sido o meu caráter.
Foi muito bom receber palavras de carinho e de apoio nesse momento.
"Vá com Deus!""Deus te ilumine!" "Você merece!" "Dará tudo certo!" "Seja feliz!" "Sentiremos muito sua falta." Todos desejando uma boa viagem,  com planos para minha volta. Sentir esse calor humano foi bom. Sentir que deixei esse cargo, por vontade própria, sem manchas, sem inimigos, sem confusões, foi melhor ainda.
Página virada da minha vida, com serenidade, tranquilidade e paz.


terça-feira, 3 de abril de 2012

Caiu a ficha

As coisas estão andando em uma velocidade assustadora, e ainda assim, parecem demorar mais que o esperado. Tudo está em ritmo acelerado, mas é tanto pra resolver, que eu queria mais uma semaninha... A casa está esvaziando, mas parece que não vai dar tempo!!! Não estou me sentindo deprimida, não estou arrasada em ver a casa vazia! Estou, elo contrário, achando que ainda está cheia demais!!! Tanto pra ser resolvido e temos apenas 3 dias. T-R-Ê-S! Gente do céu! Encaixotar 16 anos de vida é muito complicado. E, mais do que isso, é deixar tudo em stand-by, porque o plano é voltar. (Há controvérsias!) Enfim, tudo a mil por hora e ainda tá pouco. Deus me ajude a acabar tudo pra recomeçar do outro lado do Equador, sem pirar "por completo". Porque "meio doida",  isso eu já estou.

domingo, 1 de abril de 2012

Last Sunday

Passamos bem a noite, Lalinha comigo, Bia com a vovó Morel, Júlia na casa da Luiza, Mamãe em São Paulo. Acordamos cedo, antes das 8 as duas pequenas estavam acordadas, eu antes do sol aparecer ... Ficamos em casa pela manhã, fomos almoçar no IMBOLOGNA, voltamos para casa para um soninho. Tomamos banhoco e fomos à Igreja. Depois do culto e da despedida da IMCG fomos à pizzaria Pizza a Bessa, na Ricardo Paranhos. No final descobrimos que o aparelho da Júlia (móvel) havia sido lançado ao lixo. Quando chegamos em casa a pizzaria ligou informando que encontraram o aparelho. Voltei lá para pegá-lo. Bom domingo, nosso último antes da viagem...

The last Saturday ...

Em nosso último sábado antes da viagem estava trabalhando até o meio-dia. Dormi sem escala e quando foi 08:45 am, a Equipe me ligou passando minha escala. Cinco (05) hérnias de disco lombares com o Dr Aníbal Cintra. Resultado, saí do Hospital São Salvador as 4:00 pm. Fui ao McDonalds para almoçar e corri para ver as meninas. Deixei a Júlia na casa da Luíza (filha de Marcelo e Serjana), onde dormiu. Fomos para a casa da Tatá, que havia acabado de chegar de New York, junto com o Dindo, Dinda, Léo e Lulu. Fui à praça da Bíblia comprar um frango "TV de cachorro" e o Balaião fez um arroz. Tatá mesmo cansada veio aqui em casa para fazer as crianças dormirem (exigência delas). Dormi com Lalinha, vovó Morel com a Bia e Mamãe em São Paulo num congresso de Hemofilia. Assim foi nosso último sábado antes da viagem...