segunda-feira, 9 de julho de 2012

39 anos, 3 meses e 1 dia

Hoje é dia de comemorar!! Mas, quem neste mundo comemora 39 anos, 3 meses e 1 dia? 
Senta, que lá vem a explicação,

Marido faz 39 anos hoje. Isso se comemora!

Agradeço a Deus por este homem inteligente, corajoso, determinado, esforçado, lutador, guerreiro, trabalhador, estudioso e amoroso que tenho ao meu lado. Calma, ele tem defeitos, também, viu? Mas, vamos combinar: hoje não é dia de falar dos defeitos, né? Deixa ele ser perfeito por um dia... Ele merece!  Então, que hoje seja dia de agradecer ao Criador o dom da vida e pedir que Ele continue com suas mãos estendidas sobre ele, dando saúde, proteção, direção e muuuuito amor...
Dia de desejar paz, prosperidade, sabedoria, sucesso, paciência, e todas as coisas boas que desejamos `aqueles que amamos. E lembrá-lo de que, destes 39 anos, os 18 melhores foram ao meu lado. ; ) Porque hoje também é dia de ser modesta... Aí,  pra celebrar, fomos ao... tchan tchan tchan tchan... MAC DONALD'S!! Programa  de família (de estudantes sem  emprego e sem salário) com as crianças.
Mas, nem tudo está perdido, e amanhã iremos a Angus Brazilian Steak House, churrascaria brasileira. Só não fomos hoje, porque não abre segunda. De vez em quando, pode, né?
Ah! E também fiz brownie (que eu adoro, mas ele nem tanto) e pudim de leite condensado (que é a sobremesa preferida dele). Eu e as crianças na cozinha, pense a confusão. Mas, ao menos, todo o mundo se divertiu.

3 meses na América. Isso se comemora!

Passou voando. Muitos desafios, muita coisa nova, muita coisa boa, outras nem tanto. 
Deu pra perceber que: 

  1. ser morador não é ser turista,
  2. companhia telefônica é "mala" aqui também, 
  3. aqui também tem ladrão (roubaram nossa mochila da North Face no Six Flags),
  4. (mas, no geral, prevalecem pessoas honestas - devolveram meu iphone que esqueci no shopping),
  5. fazer compras ainda é uma diversão - pela variedade quase infinita de opções,
  6. o calor é quase isuportável,
  7. adoecer aqui é complicado e muito caro,
  8. uma babá faz mais falta do que uma empregada,
  9. o preço da gasolina só abaixou desde que chegamos (começamos pagando US$3.99 no galão, hoje está $3.07)
  10. o inglês está cada dia melhor,
  11. as meninas dão muuuuito trabalho pra dormir (todas as três),
  12. as meninas dão muuuuito trabalho pra comer (principalmente a filha "média" - como se autodenomina a Beatriz),
  13. é muito fácil gastar o que foi muito difícil poupar,
  14. continuo sem ter tempo pra minhas coisas,
  15. todos os meus projetos vão ter que esperar um pouco,

1 dia sem minha mãe aqui. Isso não se comemora!! Isso se lamenta (se bem que meus irmãos que estão no Brasil  devem estar comemorando...)

Mas, chegou mais rápido do que o esperado (era pra ser só em outubro): minha mãe passou mal, teve dores fortíssimas, duas noites sem pregar o olho. E olha que ouvir minha mãe reclamar de dor é quase um feito, de tão pouco que ela reclama. Então, quando ela me pediu medicação venosa, vi que era sério. Tive que levá-la a uma Emergência. Precisou de morfina na veia. Exame de sangue. Tomografia. No outro dia, viajou pro Brasil. A zona de conforto nessas horas vale mais que qualquer hospital super-hiper-mega-blaster equipado. Além do custo da saúde ser muito alto por aqui, ficamos mais confortáveis com ela lá. E então, em três meses,  essa foi a primeira vez que chorei. Quietinha, no banheiro, sem ninguém perceber, sem escândalo - que não faz meu tipo, sem alarde - que também não faz. Chorei de preocupação - com ela, coitada, sem sabermos o diagnóstico ao certo - e comigo, também. Tá bom, sou egoísta, vai! Confesso. Mas, o pânico se instalou: O que é que eu vou fazer agora, sem minha mãe aqui? Nessa terra boa, porém estranha, em que não conheço ninguém... Como vou conseguir fazer tudo sozinha? Só peço a Deus e torço pra que tudo corra bem com minha mãe, que seja "coisa `a toa",  que ela fique bem e volte logo!! E que Ele me ajude a não surtar.

Enquanto isso, a luta continua. Tentamos fazer as meninas dormirem mais cedo, não deixei que dormissem de tarde. Dormiram `as 8:00pm e pensei:  êba, vou ter um pouco de paz!  Ledo engano... Dormiram duas horas, acordaram `as 10:00  com a corda toda. Alternando os pedidos: Quero fazer xixi, quéio fazer cocô, quero beber água, quéio mamar toddy, quero Pu(boneca), quéio bicôco(bico), acende a luz, quéio Déli(daddy), liga o ventilador, quéio Mommy... e buáááá e  dá-lhe buáááá...
No momento,  estão na maior gritaria que se possa imaginar.  Daqui a pouco, acho que os vizinhos chamam a polícia, achando que estamos espancando as nossas filhas...Simplesmente, porque resolvi dar um basta nessa história de dormirmos na cama delas, acordarmos quebrados `as 2 da manhã (ontem, foram dormir 1:00am!!) e por isso, elas estão lá sozinhas. Aos berros. E eu aqui tentando ser forte e não ir lá acudir. E tentando publicar o "post do dia" no dia certo, afinal amanhã não é aniversário de ninguém daqui de casa.  
Só sei que foram-se embora todos os meus planos... 
E nem tivemos tempo de comer o pudim!

2 comentários:

  1. oi... Parabéns!!!!!!!!!!
    olha como identifico com você...
    sua listinha é bem parecida com a minha...
    tirando a língua... pois alemão não evoluiu nada..
    beijosss

    ResponderExcluir
  2. Minha lista de planos não executados é maior do que se pode imaginar. Ainda vou publicar mais. Alemão deve ser osso, mesmo! Boa sorte!

    ResponderExcluir