sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Helga e os Mustangs

Aviso aos navegantes: Hoje o post tá comprido! 
Alguém aí lembra do "Hey, Arnold!?"


Helga era amiga do Arnold, o tratava com desprezo e agressividade, mas amava-o secretamente, e tinha até uma espécie de "altar" erigido a ele dentro do seu closet. Eu tenho a minha própria  Helga, assim como tenho a  doce Pollyana.  Minha não-tão-doce-porém-não-menos-amada Helga é a emburradinha da família. Nada agrada, nada está bom.  É brava e tem nariz empinado - literalmente -  e é muito, mas muito difícil (mesmo!) de agradar... Helga fica brava  porque quase não falo dela nos posts...  ela fica brava com tudo, aliás. A lei é mais ou menos assim: "Tudo que você falar pode ser usado contra você mesmo."  Então, cuidado! OU, traduzindo : "Não mexe com quem tá quieto!" Por isso, quase não escrevo...
Não adianta ela empinar a carroça, eu bem sei que no fundo do seu "closet", onde nenhum de nós tem acesso, ela guarda seu próprio altarzinho... E nele, o seu amor secreto...
Tudo bem então, o post hoje não tem nada de engraçadinho. Porque é sobre minha Helga, também conhecida por Júlia. Passo a chamá-la pelo verdadeiro nome a partir de agora, primeiro porque o nome dela é esse, e segundo porque eu adoro esse nome.: Júlia quer dizer Juventude. E não tem nome melhor pra ela. Não pela idade em que se encontra, mas porque ela é a filha da minha juventude, do amor da minha juventude, dos sonhos da minha juventude... Infelizmente, ela carrega o pesado fardo da primogenitura, o peso dos erros que os pais cometem, principalmente, com o primeiro filho. É o peso dos sonhos frustrados, projetados sobre as costas dos filhos, sabe? Como aquela mãe que queria ser bailarina e obriga a filha a fazer balé, mesmo que ela não goste. Sorte minha que a Júlia ama balé. Ufa! 
Enfim, chega de mea-culpa, vamos ao que interessa. Essa semana teve o open-house da escola da Júlia.  Já falei um pouco sobre a escola dela neste post aqui . Neste evento, todos os pais foram convidados a fazer o horário dos filhos, exatamente como eles fazem no dia-a-dia. Mais ou menos assim: Primeira aula com professor X na sala Y, segunda aula com professor W na sala Z.  Ela imprimiu o horário dela pra mim, junto com um rabisco mapa da escola e lá fui eu. Achei a oportunidade incrível e pude observar um pouco das diferenças entre o Ensino Médio no Brasil e a High School nos Estados Unidos. Algumas, eu já conhecia, mas vivenciá-las foi a primeira vez. Minhas impressões:


Primeira diferença: OS ALUNOS TROCAM DE SALA E NÃO OS PROFESSORES
A escola dela é enooooorme, com três andares e várias alas, ou pavilhões,  divididos por cores. ALA AZUL, BRANCA, ACQUA, VIOLETA, CINZA e por aí, vai. Cada uma das aulas acontece em alas diferentes. A primeira aula pode ser no primeiro andar da ala AZUL e a segunda aula no terceiro andar de outro pavilhão da ala VIOLETA. Deu pra entender? Então, toca o sino e os alunos saem correndo para chegarem na sala que terão a próxima aula. É estranho pra gente, mas acho bem justo. Primeiro, por questão de HIERARQUIA e VALORIZAÇÃO DO PROFESSOR. Não é o professor que tem que sair como louco, carregando suas coisas e encontrar o aluno feito um príncipe sentado confortavelmente em sua sala... Quem precisa do conhecimento deve buscá-lo. Literally. Segundo, porque as salas são equipadas para a matéria que é dada nelas, como na FACULDADE no Brasil.  Fazendo uma comparação com a MEDICINA , que é a única da qual posso falar: a auula de Anatomia não pode ser no LABORATÓRIO de PATOLOGIA, porque os cadáveres estão na sala de ANATOMIA. 



Aí entra a segunda diferença: CADA SALA TEM OS RECURSOS NECESSÁRIOS PARA A MATÉRIA QUE É MINISTRADA NELA. Por exemplo: A Sala de Matemática e Engenharia, tem os softwares, calculadoras, telas i-touch e toda a  tecnologia apropriada para o ensino do Cálculo, incluindo alguns modelos de trigonometria. A sala da PRINCIPLES OF HEALTH (Princípios de Saúde) tem alguns modelos anatômicos e pia para lavagem de mãos, com bancadas para a realização dos traballhos. A sala de AQUATIC SCIENCE tem uma série de aquários que os alunos vão poder (vão precisar de ) montar e manter durante todo o ano, criando um ecossistema aquático e estudando nele os princípios de química e biologia. [Fiquei morrendo de vontade de fazer parte dessa sala,  Quase me inscrevi como voluntária. O professor é um fofo - um senhor de uns 70 anos, com terno e gravata borboleta, oceanógrafo da US NAVY- apaixonado pelo que faz! Os alunos vão poder escolher os peixes que querem, as algas, os corais, etc. Pensa que delícia!( A Júlia disse que quer o Nemo e a Dory.) Também terão a oportunidade de ir a um navio de pesquisa no Golfo do México.] Eu não fui nas outras salas, mas posso imaginar o escândalo que devem ser as salas de teatro, de culinária, de música. Sei que nessa última tem todos os instrumentos, inclusive violoncelos e pianos...

Terceira diferença: OS ALUNOS ESCOLHEM O QUE VÃO ESTUDAR. Existe um guia para o que eles precisam fazer, e tudo é computado em créditos. No decorrer dos 4 anos de HIGH SCHOOL, os alunos precisam de um número X de créditos pra se formarem, distribuídos entre as disciplinas. Então,  todos têm que ter um número específico de créditos em Inglês, Ciências (Química, Biologia, Física), Matemática, Língua Estrangeira, Estudos Sociais (História e Geografia) e Eletivas ( matérias não necessariamente acadêmicas que vc escolhe). Você pode fazer créditos a mais, mas não a menos. Por exemplo:  Júlia já tem os créditos necessários para língua estrangeira, pois cumpriu isso no Brasil, com trocentas horas de estudo de Português ao longo da vida toda ( eles computam tudo, tive que trazer os boletins  e histórico escolar). Então, ela não precisaria fazer outra língua - além do inglês, óbvio. Mas, ela optou por Francês como ELETIVA. Exemplo 2: Como ela já fez Física na oitava série, e no Primeiro Ano, já consegui os créditos pra isso. Aí, ela pode optar por outra matéria pra cumprir os créditos de Ciências - é a tal AQUATIC SCIENCE, mil vezes melhor que Física.
Para as matérias eletivas, temos mil e uma oportunidades, como FOTOGRAFIA, CULINÁRIA, MÚSICA, CORAL, TEATRO, CHEERLEADING (chefes de torcida), MODA, PINTURA, etc, etc, e etc...
E não pensem que é pra inglês ver , não. Quem opta por MÚSICA, por exemplo, geralmente são meninos-prodígio em algum instrumento, que farão carreira como músicos, sendo que alguns já tocam na Sinfônica de Houston... A outra eletiva da Júlia é o PERSONAL HEALTH. Nessa disciplina, ela vai ter oportunidade de entrar em hospitais e aprender in-loco: muito popular entre alunos que querem seguir carreira na área de Saúde. Daí nasce a quarta diferença: CADA SALA TEM ALUNOS DIFERENTES, DE ANOS DIFERENTES. Por exemplo: na língua estrangeira, tem a opção de francês, alemão, italiano ou espanhol. Você pode escolher qualquer uma delas... Para cumprir os créditos de Ciências, existem muitas opções, inclusive a tal Aquática. Existem várias opções compatíveis com o seu ano acadêmico. Além disso, existem matérias que comportam alunos de diversos anos escolares. Exemplo: a aula de Pré-Calculo é tipicamente de Seniors (12º ano - equivalente ao nosso 3º ano), mas a Júlia faz essa aula sendo Junior (11º ano, nosso 2º) , porque é muito inteligente ;) . Disso, tiramos uma conclusão: o conceito de turma é um pouco diferente do que temos no Brasil. A turma se organiza em CLASSES. A Júlia é da CLASS OF 2014, ou seja, alunos que se formarão em 2014 . São aproximadamente 600 alunos, distribuídos nas mas diversas salas, alas e pavilhões...

 Também é possível ganhar créditos de Universidade ainda no Ensino Médio - são os chamados AP  courses - advanced placement  - em que o nível é mais alto, mais difícil. Porém, uma vez, concluído com sucesso, o aluno não precisara daquela matéria na universidade. A Matemática e o Inglês da Júlia são AP courses. Isso dá a ela uma vantagem, visto que as Universidades vêm com muito bons olhos os alunos que optam por este tipo de curso.

Quinta diferença: OS ALUNOS NUTREM UM VERDADEIRO AMOR PELA ESCOLA. 
Cada escola tem identidade própria e os alunos se sentem parte dela. É um orgulho, uma sensação de pertencimento, coisa invejável. As escolas têm seus mascotes - eu não sei bem se o nome seria esse - Geralmente, mas não necessariamente, é um animal que simboliza a insituição a qual pertencem e   todos os alunos daquela escola são reconhecidos como o tal animal/símbolo.  São muito utilizados com propósitos atléticos, mas vai além disso. Na Memorial High School,  são os MUSTANGS -  cavalos americanos avermelhados do Oeste  ( trazidos da Espanha, pois a América não tem cavalos, originalmente falando...). É só lembrar do High School Musical - eram os WILDCATS (gatos selvagens). Na escola da Beatriz, são os WARRIORS (guerreiros), mas também temos os LIONS, os EAGLES ( águias), SPARTANS (espartanos), e por aí, vai... Dessa diferença, surge a sexta: A ATLÉTICA É SUPER FORTE E ATUANTE. De fato, muitos alunos saem da High School com as vagas nas Universidades garantidas, pelo seu perfil como jogadores. Um dos colegas da Júlia é atleta olímpico -  pratica Arco e Flecha. Um adendo: Há no TEXAS, atualmente, 1100 (hum mil e cem) alunos que não frequentam a High School regularmente, como os outros alunos - fazem os créditos escolares pela Internet, pois são OS ATLETAS QUE DISPUTARÃO AS OLIMPÍADAS DE 2016 NO BRASIL.




Outras diferenças são observadas nos hábitos e comportamentos dos alunos e pais. Muitas vezes, vão pra escola com a roupa que dormiram - chegam amassados, com "camiseta de político" e chinelos de dedo ( a escola pública não tem obrigatoriedade de uniforme). A maioria esmagadora dos alunos leva o lanche (almoço) de casa. (Não compram na cantina da escola.) Levam seus sanduíches e frutas nas sacolinhas de papel - as famosas paper bags (como as nossas sacolas de pão francês, só que pequenas). Apesar de pública e de qualidade, a escola é financiada também pela generosidade dos pais - leia-se: de pequenos trabalhos voluntários de mães donas-de-casa a volumosas quantias de dólares doados pelos pais abastados. A maioria se envolve, de alguma forma. Eu já vou me cadastrar para o voluntariado - já que a volumosa quantia de dólares está fora de cogitação, no momento.

Posso dizer que me sinto privilegiada de ser uma Mustang MOM ( mãe de uma Mustang).


Go, Mustangs, Go!


9 comentários:

  1. Amei esse post! Entendi muita coisa sobre o high school. Dito isso, preciso falar especificamente com a Júlia. Júlia, eu te entendo. cara, é muito difícil ser a filha mais velha, ainda mais quando se tem 2 irmãs pequenas. Porque assim, criança pequena é aquela fofura do mundo inteira para todo mundo, mas pra gente, as filhas mais velhas, as vezes...(só as vezes, porque né, suas irmãs são duas gostosuras mesmo)bom, você sabe. Fora que esse negócio de ser adolescente é bom, mas estranho. Parece que os pais falam outra língua ou não entendem a nossa (tou me achando a adolescente!). A tendência é melhorar :)
    Cris, deve ser uma sensação boa olhar para as 3 e ter a certeza que colocou no mundo 3 criaturas lindas e sabidas né? Que Deus continue com vocês abençoado a família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lorna! Vai se preparando aí. Sei que está ainda na fase planejante, mas um dia, a hora chega pra você também. E te digo uma coisa: é mais difícil do que se possa supôr, mas também mais gratificante. Dá sim, um trabalho danado e um orgulho maior ainda!

      Excluir
  2. Cris!!!!! que delicia de post.... ameiii.... menina que diferença do Brasil, bom eu só vi vantagens... e vcs? (pais) estão só vendo vantagens ou viram alguma desvantagem???
    E que filha de orgulho... nossa!!! Parabéns... "Julia amei sua escola!!!!!!!"
    E você tocou em um assunto que me tocou... sobre a primeira filha, acho que eu e Ivan estamos fazendo exatamente isso, colocando muita espectativa nas costas da Valentina... valeu viu pelo toque...
    Conta mais sobre seu dia a dia... é tão gstoso saber... :-)
    Beijossssss Cris!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente sempre erra querendo acertar, né? Espero que os filhos entendam isso um dia!!
      Você vai ver quando tiver o/a segundo/a (rsss), que a pressão é bem menor sobre ele/ela... mas não o amor. O amor é igual, garanto! Beijos!

      Excluir
  3. expectativa... ave qe erro feio... sorry...

    ResponderExcluir
  4. Acho q temos outra Helga aqui em casa... haahhaa!
    duas Helguinhas mt amadas!
    Julia Maria que saudade d vc... Tchu, qd ela tiver mt chatinha aí pode mandar pra cá que a gente "atura".
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, essas Helguinhas... são dureza! Rss
      Beijos

      Excluir
  5. OLÁ VIM CONHECER TEU BLOG E É MARAVILHOSO JÁ ESTOU TE SEGUINDO
    BEIJO NO CORAÇÃO!!!....._.;_'.-._
    ...{`--..-.'_,}
    .{;..\,__...-'/}
    .{..'-`.._;..-';
    ....`'--.._..-'
    ........,--\\..,-"-.
    ........`-..\(..'-...\
    ...............\.;---,/
    ..........,-""-;\
    ......../....-'.)..\
    ........\,---'`...\\
    .....................\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI! Seja bem-vinda! Obrigada pelo carinho.

      Excluir