sexta-feira, 30 de novembro de 2012

San Antonio and Fredericksburg

Como já disse no post anterior, Thanksgiving é o feriado mais família da América. Infelizmente, nossa família está longe, então nosso Thanksgiving não foi tipicamente americano. Quero dizer com isso que não tivemos um grande banquete com todas as comidinhas e a reunião de avós, tios e primos, em volta de uma mesa enorme. Seria maravilhoso, mas não foi dessa vez. Fomos nós cinco pra San Antonio por quatro dias. Que bom que temos uns aos outros! A minha intenção era a de participar da Boat Parade no Riverwalk.  Não consigo explicar muito bem, mas seria como Amsterdam e Veneza ( guardadas as devidas proporções). A cidade é "cortada" por esses canais, um nível abaixo das ruas, já falei sobre isso aqui. Pois bem, essa era a minha intenção. Passar os dias nos parque (Sea World e Six Flags) e na noite do Black Friday, assistir a tal parada. É como se fosse um desfile de carros alegóricos, só que de barcos. Todos enfeitados com motivos natalinos. Alguns com coral, eum deles com o próprio Papai Noel.  E nesse dia, também acontece oficialmente a iluminação da cidade - prédios públicos- e da árvore. Mas, infelizmente, ninguém quis ir - :(  - então, não posso dizer se presta ou não...


Depois de passar o dia na Sea World, ninguém mais quis ir no Six Flags, nem na tal Parade  - o frio estava de lascar, as meninas estavam cansadas, com fome.. . Então fomos dois dias seguidos ver a Shamu e os golfinhos. Muito bom o passeio, extremamente recomendável. Essa é a terceira Sea World que conhecemos e podemos dizer, com segurança, que não perde em nada para as outras ( de Orlando e San Diego). Passeio imperdível  pra toda a família! Mais uma vez, compramos o annual pass, que dá direito ao ano todo. Então, se alguém resolver vir nos visitar, podemos ir pra San Antonio de novo e passar mais um dia com a população marinha.
Abre parêntese : a melhor parte de morar em um país em que você não conhece ninguém (quase ninguém), é a de você poder sair com 5 cm - ok, estou exagerando - de raiz de cabelo sem pintar!  Não que eu me orgulhe disso, mas não teve jeito! Não tive tempo de pintar os cabelos, minha cabeleireira oficial está no Brasil( e hoje, inclusive é o aniversário dela. Parabéns, mãe!!) Então, tive que acionar minha cabeleireira extra-oficial, cuja identidade vou proteger para não levar muita bronca, mas ela não achou um tempinho pra mim na agenda dela super-atarefada-não-sei-de-quê . E lá fui eu, com meus 5 cm de raíz de cabelo preto, branco, e o resto marrom, chocolate, com pontas amarelas e laranjas. Outono na cabeça! Literalmente, exceto pelo preto e branco. Ódio! Pra completar, esqueci o shampoo e condicionador, e tive que usar o do hotel (pensa! aqueles trocinhos mirrados, 2 em 1). Resolvi radicalizar. "Marrei" um lenço na cabeça. Juro!! Me senti uma louca varrida, de cabelo sujo e mal cuidado.  Olha, eu não sou a pessoa mais vaidosa do mundo, mas também não me considero relaxada. Sou  até bem equilibrada. Mas, no momento que eu fiz meu penteado a la Africa, eu vi que meu caso está sério... Aí, olhei pras minhas unhas que há 6 meses não vêm esmalte  e vi que a cutícula já cobre quase metade da unha. Bom, nem vou falar que olhei pras pernas, porque no momento, me recuso.  Chegando em casa, a primeira coisa que fiz foi pintar as madeixas, não se preocupem. Lavando roupa, desarrumando mala, fazendo comida, dando banho em menino (=criança) e pintando cabelo. Minha hairdresser finalmente se compadeceu!! Louca-varrida é pouco pra mim. Fecha parênteses. 
Olha a minha situação!
Um dos pontos altos do show é quando a baleia joga água no povo sentado na Splash Zone.
Tomei um banho que "quase" me deixou de mau-humor.
Além da SeaWorld, também fizemos os passeios típicos nas lojinhas do centro, no coreto, no Álamo, La Vilita e  etc. San Antonio, devo dizer novamente, é um excelente destino para a família. Muita coisa pra fazer, muito lugar bacana para comer, passeios tranquilos e charmosos. Na praça central, ficam carruagens enfeitadas que fazem o tour pela cidade, as meninas queriam ir, mas achamos meio carinho ( 60 dólares por 20 minutos). Também tem bondinhos (trolleys) que fazem um tour maior, como aqueles ônibus de Nova York e Paris ( mais uma vez, guardadas as devidas proporções, por favor!! Não quero comparar as cidades). Na verdade, parecem mais com os bondinhos de Lisboa, porque são oldfashioned, estilo início do século XX.  Dessa vez, jantamos no The County Line, a beira do rio (Riverwalk) e gostamos muito. Tenho foto de tudo, maaas, vou postar só as do iphone, pois ainda não passei as fotos da máquina. 
 A resolução está péssima, mas é pra mostrar que  a Laura aprendeu a piscar !!
The Alamo

Outro passeio ótimo são as cavernas. Elas ficam a umas 35-40 milhas (60 km) do centro de San Antonio, mas compensa muito. Inicialmente, achamos que não era muito apropriado para crianças - e realmente não se compara a um parque de diversões. Mas, todo o mundo aqui leva os filhos pra baixo e pra cima. Museus, cavernas, lojas, parques. As crianças estão sempre com os pais, porque, entre outros motivos,  não tem com quem deixar... E até que as crianças se comportaram bem! Difícil foi subir quase 150 degraus com criança no colo, mas, mais uma vez, sobrevivemos. 

"The Cave without a name" - esse é o nome da caverna


Depois disso tudo, ainda fomos a Fredericksburg, uma cidadezinha super charmosa, colônia alemã, com  tradição em vinhedos, restaurantes finos e lojas de produtos artesanais (traduzindo = caros) e comidas alemãs.  O nosso tempo era curto e  só deu pra passearmos pela praça, tirarmos algumas fotos e andarmos nas lojinhas.  A umas 15 milhas da cidade, fica a casa/fazenda do ex-presidente Lyndon Johnson (o que assumiu depois da morte de John Kennedy) e ela é aberta a visitação. Estava tendo um festival alemão lá, com pessoas vestidas com trajes típicos, mas chegamos tarde na cidade, não deu pra gente ir. Definitivamente,  Fredericksburg é um lugar que eu gostaria de voltar, mas só com Dr. Marido, para para um passeio romântico nos vinhedos... e ficar em uma das várias e charmosas pousadas B&B (bed and brakfast). Fica pra próxima! A cidade estava toda enfeitada para o Natal, tudo muito fofo. Mas, a essa altura, o iphone estava sem bateria, as fotos estão na máquina. Assim que eu animar a arrumar meus arquivos - quando, gente?? - eu posto. Prometo!


Os dias foram ótimos, a Bia está até hoje querendo voltar.  Chegou em casa chorando : Eu quero dormir no Hotel, buáááá!! Todos os dias ela quer ir pro hotel. E olha que ficamos num Red Roof Inn - o mais simprizim que tinha. O que ela gostou foi ficar todo o mundo junto, em um quarto só, ela dormindo comigo em uma cama, a Júlia com o Christiano na outra e a Laura no bercinho (teoricamente). Tudo junto e misturado! Tem coisa melhor?
Inté!

domingo, 25 de novembro de 2012

Happy Thanksgiving!


Ok, o título do post está meio atrasadinho( o dia mesmo foi 22 de novembro), como tudo ultimamente neste blog... Laura recuperando de uma virose + ausência de empregada e babá + Thanksgiving Break das crianças (férias) + Arrumacão pré-Viagem + Viagem + Arrumação pós-Viagem + etc, etc, etc = posts atrasados!!
Mas, nunca é tarde para ser feliz, né não? Então nunca é tarde para agradecer também.
Thanskgiving quer dizer Ação de Graças, o Ato de dar graças, Agradecer.  Sua origem data do século XVII, quando peregrinos - colonos protestantes- em Plymouth,  Massachusetts, comemoraram juntamente com os índios, uma boa colheita de milho em 1621, depois de anos com inverno rigoroso e colheitas mal-sucedidas. Isso aconteceu no final do outono. (outono= abóboras= colheitas, lembram?) Mesas postas ao ar livre, peru como prato principal, colonos e nativos juntos, agradecendo a Deus a sua provisão. Marco na história dos Estados Unidos. 
Em 1863, o então presidente, Abraham Lincoln, declarou que a quarta quinta-feira do mês de novembro seria o Dia Nacional de Ação de Graças. E assim tem sido feito desde então. O dia de Ação de Graças é considerado por muitos o feriado mais importante do calendário americano. Embora tenha suas raízes no protestantismo, ele é celebrado por católicos e quase todas as outras religiões, e não é um feriado religioso e sim, civil. É tempo de estar com a família, em almoços e confraternizações, com peru, batata, milho e torta de abóbora (a mesma comida que estava presente no dia original). Trata-se do feriado mais viajado da América, todo o mundo para um pouquinho e vai visitar os parentes mais chegados.  Tempo de dar um basta na correria e agradecer a Deus pelo que Ele tem feito.  E nada mais especial do que a família! E um coração agradecido cabe em qualquer lugar, qualquer situação, por mais caótica que seja. Pois sempre há algo para agradecer. Claro que devemos agradecer todos os dias, não só no Thanksgiving. Mas, nesse dia, é especial. É como o Natal: não devemos lembrar de Jesus só no dia 25 de dezembro, devemos tê-lo em nossos pensamentos e ações todos os 365 dias do ano. Mas, no dia 25 de dezembro, é especial.   Mais ou menos assim. 
O Brasil, que gosta tanto de americanizar tanta coisa, bem que podia adotar essa celebração. Importaram o Halloween - e ouvi dizer que até o Black Friday - por que não o Thanksgiving?
O peru é a figura dominante nessa época. E peru aqui fala inglês, gente! Não tem nada de glu-glu, não... É gobble-gobble que o bicho faz. Chique! A Laura acha que são pinguins. Cebolas de Halloween e Pinguins de Thanksgiving! Essa menina é uma figura, detona com as tradições americanas... 
Todas as tarefinhas da escola envolvem o bichinho. Mandam o desenho, e as orientações: Decore o peru com miçangas, faça as penas de não-sei-o-quê-lá-mais, cole o rabo com  feltro, essas coisas. Cada dia, um projetinho... Eles têm uma simpatia imensa com a ave!
Thanksgiving é também sinônimo de família. Nós aproveitamos os dias de descanso para uma viagem em família: fomos todos pra San Antonio, que é uma cidade super agradável e charmosa a 3 horas de Houston (já falei dela aqui no blog). Mais tarde, faço um post específico dessa viagem, que foi bem legal.
No dia de Ação de Graças, é uma tradição cada um responder a uma pergunta bem simples: What are you grateful for? O que você gostaria de agradecer? A Bia, por exemplo agradeceu pelas baleias.  E a Laura,  pelos sealions (=leões marinhos) Passamos o dia na SeaWorld, pessoal, acho que isso teve uma leve influência... O fato é que todos nós temos  muitos motivos para agradecer: a família, a saúde, os amigos, a provisão de Deus... Em todas as esferas da sociedade, em todos os níveis econômicos, em todos as classes sociais, há motivos para  agradecer a Deus, e  isso não se mede pelo volume de coisas que se tem. Porque as coisas que realmente importam não se contam. E são essas que primeiro vêm a mente, quando pensamos em agradecer. Coisas que tem o maior valor são justamente as que não tem preço...
Para nossa reflexão, transcrevo abaixo uma das muitas passagens bíblicas que falam sobre gratidão. E vc? What are you grateful for? Lembre-se: Nunca é tarde...

E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe;
E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós.
E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.
E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz;
E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano.
E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?
Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro?
E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou. 
Lucas 17:12-19

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Para Júlia, nos seus 16 anos


Parece que foi ontem que vi seu coraçãozinho batendo pela primeira vez. Você ainda era "meu filho", porque antes de saber o sexo, todos chamam o bebê de... "o bebê" . Assim que soube que o meu bebê era uma menina, um raio de felicidade iluminou minha vida. Sempre quis ser mãe de menina... Confesso! Que lindo presente de Deus, surpresa dos céus pra mim. Projeto divino...
Passou  mesmo muito rápido... O primeiro chorinho que ouvi na sala de cirurgia, veio logo acompanhado da minha pergunta: "É menina, mesmo?". As mães perguntam se está tudo bem, se a criança é normal, mas eu queria mesmo era ter a certeza de que meu sonho era realidade. Minha menina...
Você cresceu, mas continua sendo e sempre será minha menina.  Aquela por quem meu coração, pela primeira vez, bateu mais forte, que me ensinou o que é o amor incondicional. Amor que só as mães compartilham. Amor que você ainda não conhece...
Com você experimentei ser mãe pela primeira vez. No primeiro sorriso, nos primeiros dentinhos, nas primeiras palavras, nos primeiros passos, nos muitos choros... estive ao seu lado. Cada conquista, uma alegria. O primeiro dia de aula, a formatura do pré, a formatura da quarta série, os recitais de piano, as apresentações de balé, a conclusão do ensino fundamental. Tudo presenciado, guardado em minha memória, registrado em fotos e filmagens que não me deixam mentir. 
Parece que foi ontem seu aniversário de 15 anos! E,  de repente,  o de 16! Que coisa!
Nesses 16 anos, cada ano foi celebrado. Desde o primeiro aninho, sua vida sempre foi comemorada com festa. E com oração. Todos os dias, nas minhas preces, intercedo por sua vida. Uma forma de agradecer a Deus por ter nos dado você, linda e saudável. Não há nada que façamos para merecer isso. Mas, uma coisa podemos fazer: entregar você a Ele todos os dias, com ações de graças e súplicas pra que tudo te vá bem...
Eu te amei com todo o meu amor,  desde o princípio. Não que tenha sido fácil, que a maternidade tenha sido tranquila e que não tenhamos tido erros e tropeços,   porque tudo isso também é verdade. Saiba (e eu sei que você sabe) que te amei com todos os meus recursos... Sei que pode parecer pouco pra você, mas, você sempre teve o meu melhor. 
A chegada das pequenas bagunçou um pouco a estrutura da nossa família... Filhos pequenos são trabalhosos! Você vai ver um dia... Demandam atenção e cuidados específicos e muitas vezes, intensivos. E pode se ter a falsa impressão de que me esqueci de você... Mas, você não perdeu seu lugar no meu coração.  Amor de mãe não se divide. Se multiplica. Apenas, não preciso mais trocar suas fraldas, te dar comida na boca e pentear seus cabelos, porque, afinal, você já consegue fazer essas coisas sozinha... Mas, meu amor por você é tão grande quanto no dia em que tudo isso era necessário. E continuo te amando com todos os meus recursos. Mesmo quando você me odeia. Mesmo quando você me acha louca. Mesmo quando você me deixa chateada. Mesmo quando você faz de tudo para me tirar do sério. Mesmo quando você merece umas boas palmadas. Mesmo quando você brigar comigo amanhã quando ler o post. Porque esse é o amor incondicional. Amor que não se mede. Que não se repete.
Neste dia - que é especial, sim!- eu desejo a você , que Deus te abençoe e te proteja em todos os seus caminhos. Que Ele dirija seus passos pelas veredas planas e justas, que seja seu guia. Que seu coração se alegre sempre, que sua vida seja completa e  que Deus cure todos  as suas feridas.  E que você me perdoe, se eu for responsável por algumas delas... Desejo que você faça boas escolhas, que opte pelo caminho certo, que consulte sempre seus valores e princípios, antes de tomar qualquer decisão. Que nas encruzilhadas da vida, o Espírito Santo te dê o discernimento necessário. Que Jesus Cristo seja seu Mestre, mas também seu amigo. E que você seja plenamente feliz. Por muitos e muitos e muitos anos!
Com amor,
Mamãe

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

"A Fazenda"

Querido blog, queridos leitores, queridos seguidores: Que saudade!
Mais de 10 dias sem por os pés aqui ( aliás, as mãos)!! Já estava ficando louca de vontade de escrever um pouquinho. Sabe aquele comichão que dá na gente? Uma loucura pra blogar, uma coisa inexplicável. A razão do meu sumiço é meio inexplicável também. Uma mistura de dias angustiantes com dias atarefados, Laura doente mais uma vez, Bia doente também, entre outras coisitas mais. Talvez, também tenha sido o peso dos meus 35 anos (é, foi dia 8! Parabéns pra mim). Eu não sei... Mas, o fato é que aqui estou novamente, pronta pra compartilhar minhas histórias, minhas vivências, matar um pouco a saudade, fazer minha higiene mental e fazer rir (um blog serve pra isso tudo, que coisa, né?). Só falta ganhar dinheiro... Mas, isso, gente, sem hipocrisia, é o "de menos". Ganhar o suficiente pra viver já está ótimo (é que no nosso caso, tem sido zero dólares, então, isso me incomoda um pouquinho...). Mas, está bem assim, fazia parte dos planos. E " o que é acertado antes, não sai caro", como diz Dr. Marido. Neste momento, enquanto escrevo, tem uma menina batendo porta, um marido gritando me pedindo pra olhar as meninas direito, uma criança média choramingando. E eu aqui... fazendo terapia porque senão, não aguento o rojão.
Estou bem atrasada com as novidades, mas vou tentar postar aos poucos. Não sei se vou conseguir, pois  semana que vem é Thanksgiving - Ação de Graças, e isso significa crianças de férias (uma semana inteira!!!). Pra mim, isso quer dizer ficar meio sumida do blog de novo.
Na minha mente fértil de pseudo-escritora, teria um post específico para o meu níver de 35 anos - data importante na vida de uma pessoa, podemos supor. Mas, não vai ser hoje. Passou tanto do tempo, e talvez não seja nunca... Aí eu me lembro que: NUNCA DIGA NUNCA!! Então, pode ser que um dia role um post sobre isso. Hoje não...
Tem ainda um monte de novidades das meninas, as palavras trocadas, o inglês superbonitinho, a Bia me corrigindo (!!!), umas coisas fofas. Mas, também não vai ser hoje.
Dia 3 de novembro fomos na  tal fazenda das abóboras.  E é sobre isso o post de hoje. Primeiro, porque foi um passeio super americano e interessante. Segundo, porque foi um dia muito importante pra mim. Foi o dia que finalmente, recebi meu diploma. DIPLOMA de PEREIRÃO OFICIAL, com louvor. Acho que a tal novela já deve ter acabado,  mas a idéia permanece: UMA MULHER MACHO, SIM SENHOR. Sei que peguei as duas pequenas (porque a adolescente não quis ir nem pra conhecer...) e lá fui eu SOZINHA, levar as meninas na tal fazenda. - Dr Marido está num curso intensivo que rouba seus fins de semana.  Dirigi mais ou menos 70 km pra ir e mais 70 km pra voltar. Fui meio dia, voltei 5 da tarde. Pereirão. Levei as meninas no Pumpkin Patch (Colheita das abóboras), no Corn Maze (Labirinto de Milho) , andamos de Cow Train (carrinhos puxados por um trator em movimentos circulares e serpiginosos - altamente recomendados pra quem tem labirintite como eu #sóquenão).  As meninas amaram, fiz até um vídeo com a risada delas, mas desisti de postar). Carrrinho pra cima e pra baixo, mas em muitos momentos, deixei elas correrem ( aproveitando um pouco da liberdade sem Dr. Marido por perto). Correram, tomaram chuva.  (Será que foi por isso que adoeceram, gente? OMG!), pularam, se sujaram. Vimos corridas de porcos, patos na lagoa e tudo que se vê numa típica fazenda americana, incluindo o celeiro pintado de vermelho e fazendeiros com macacões jeans.  Também passeamos por entre campos de árvores de Natal. Interessante esse negócio das árvores de Natal, pois aqui elas são de verdade. Digo, vivas. Um dos programas das famílias nessa época  é ir a uma fazenda de pinheiros e escolher aquele que será a Árvore de Natal do ano ( claro, pois ela dura apenas uns 30 dias, depois disso, seca e o povo joga a árvore fora e guardam apenas os enfeites).  Não me parece ecologicamente correto, mas tratam-se de pinheiros plantados exclusivamente para isso. Não posso ser hipócrita de ficar com dó da árvore, enquanto como meu belo pedaço de bife. Matar árvore não pode e matar o boi pode? Pois é. Sem dó dos pinheiros, então. A temporada para o corte das árvores começa dia 23 de novembro, logo após o último suspiro das abóboras. E para quem vai comprar a árvore ( que custa em média 100 dólares), a entrada é de graça pra família. Vale a pena!
Nós nos divertimos muito. Consegui tirar as fotos das meninas no campo de abóboras, apesar de que tinham bem pouquinhas (fui depois do Halloween, o povo já tinha comprado quase todas as abóboras daquele campo, principalmete as maiores, pra fazerem jack-o-lnterns). Mas, o ingresso era metade do preço, então eu acabei deixando pra ir depois, de propósito...Tempos difíceis! O preço normal é 12 dólares por pessoa. O link é esse aqui.

 Fazenda americana típica, com o celeiro vermelho




 "Christmas trees".

  O famoso "Pumpkin Patch".





Parque de diversões para as crianças



 O nosso transporte dentro da fazenda. Olha a chuva querendo chegar.




 O "Velho Oeste" é aqui. A chuva chegou. Olha a situação da calça das crianças.



Meninas se esbaldando no feno. E fugindo da chuva.







Cow train



Corn Maze. Pura lama. O carrinho ficou imprestável! Desistimos de achar a saída e saímos pela entrada...





Olha que fofos os porquinhos e os pôneis!




O que restou das abóboras pós Halloween



Em suma, voltei pra casa com uma baita dor de cabeça ( ser Pereirão não é nada fácil), mas valeu cada centavo, cada quilômetro e cada ibuprofeno. Espero voltar no ano que vem. 


domingo, 4 de novembro de 2012

Uma pequena grande oração


" God, Our Father,
Thank you for your blessings,
Thank you for our snacks,
Thank you for our lunch,
Thank you for our family,
Thank you for our friends,
Thank you because Jesus died in the cross to save us,
Thank you because you are invisible, but we love you,
In Jesus name, 
Amen"*

Essa foi a oração da Bia ontem `a noite antes de dormir e me fez pensar que o mundo não está de todo perdido e existe ainda Salvação para as futuras gerações. A oração foi toda em inglês - o que também me deixou muito orgulhosa, a tradução está abaixo.


*"Deus, Nosso Pai
Obrigado por Tuas bençãos
Obrigado pelo lanche,
Obrigado pelo almoço,
Obrigado por nossa família,
Obrigado por nossos amigos,
Obrigado porque Jesus morreu na cruz pra nos salvar,
Obrigado porque o Senhor é invisível, mas nós te amamos.
em nome de Jesus,
Amém."



"Da boca dos pequeninos e das criancinhas procede o perfeito louvor".
Mt 21.16


Essa é a preciosa promessa do dia. Boa semana a todos.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Festas, festas e mais festas


Eu achei que outubro seria meio negro, por causa das bruxas e coisa e tal. Mas o que vivemos  nesses dias contrariou minhas expectativas. Muita festa, muita abóbora, muito doce. E todo mundo feliz!





Vou contando aos poucos. 
Dia 24 teve festa aqui no condomínio, com concurso de fantasia e sorvete. Festa americana, gente, festa americana... Beira da piscina, cada um na sua mesa, uma mesa de sorvetes e doces e o povo fantasiado. Nenhuma música ( não pode, são regras do condomínio). Hora pra começar e hora pra acabar. Mas, as crianças se divertiram. Receberam sua sacola de doces, participaram do concurso e fomos embora.
Dia 27, teve o Fall Fun Festival na Methodist Bellaire. As meninas não foram fantasiadas, mas tinha muita criança de fantasia. Apesar de ser um festival de outono, a decoração incluía algumas jack-o-lanterns e fantasminhas...Pula-pula, pipoca, algodão doce, limonada eram free. Algumas coisas eram vendidas, tinha almoço chinês e uma feira de pães e bolos (Bake Sale) além de uma grande feira de móveis e coisas usadas (Garage Sale). Tudo para financiar projetos de expansão missionária. Os jovens por exemplo, estão indo pras Filipinas e estavam lá vendendo marshmellows por 25 cents.

Dia 28, festa na Bering Drive. Essa é a escola da Lala, mas a festa era da escola e da Igreja, então, não chamava Festa de Halloween, e nem foi no dia oficial. Mas, tudo muito parecido. O sistema foi Trunk or Treat, ao invés de Trick or Treat, com carros com porta-malas enfeitados e cheios de doces., As crianças iam passando e pegando doces. Mais uma vez, tudo de graça, passeio de trenzinho, zoológico de pequenos animais, palhaço e pula-pula. Também tinha uma banca de pumpkin decoration, muito disputada entre as crianças. Todas queriam decorar abóboras. O trem é mágico, gente, eu já falei!
Ah! E Estava um frio de matar goianos. Uns 5 graus.  


 


Dia 31, o dia oficial do Halloween, a escola da Laura fez a festinha só das crianças. O tema foi Arca de Noé. Todas as crianças deveriam ir vestidas de animais. ( Umas mães retardadas  mandaram os filhos de Minnie Mouse, Spider Man e Capitão América. Tinha que ter!) Desfilaram em volta da escola (uma Parade, como eles dizem) e depois a professora reuniu todos na Chapel e contou a  história do dilúvio na presença dos animais. Muito fofo. Todos queriam estar na Arca. E agora, o que fazer com Minnie Mouse, Capitão Américae Cia limitada?? Tem mãe que não pensa... Arruinaram a história, mas tudo bem.



 




Quarta-feira também foi o dia do Concurso da Abóbora da Bia. Conforme o prometido, aí estão fotos da nossa abóbora! Todo o processo foi bem legal, levei as meninas no Walmart, pra esolherem os brilhinhos, fitinhas e coisinhas ( como é  mesmo o nome de "coisas para artesanato"? existe um nome ou é simplesmente "coisas pra artesanato'"?). Enfim, brilhinhos, fitinhas e coisinhas que fariam nossa decoration. Fiz minha vasta pesquisa na internet e resolvemos fazer uma princesa.: Princess Pumpkin! 
Eu não sei quem se divertiu mais, se fui eu ou se foram as meninas. Quero dizer, eu sei: fui eu!! Realizei um  grande sonho ao empregar "limpadores de cachimbo" pela primeira vez na vida em nosso projeto. Quase não contive a emoção!!! Quando eu era criança, a gente tinha a coleção Mundo da Criança. Eram 12 volumes, cada um com um tema. Um dos livros era sobre artesanato - supostamente para crianças, dado o nome do livro.... Mas, em todo mísero projetinho eles estavam lá: palitos de picolé, cola branca e  limpadores de cachimbo. Aí, a gente pulava esse projeto, porque, assim... limpadores de cachimbo niguém tinha. Mais umas páginas, outro projeto super legal: pratos descartáveis, fita adesiva, canetinhas de colorir e ... limpadores de cachimbo. Bom, esse também não dava pra fazer. Enfim, não preciso dizer que NUNCA consegui fazer nenhum projeto desse livro, porque os limpadores de cachimbo eram im-pres-cin-dí-veis para qualquer coisa que se quisesse fazer. O era isso ou era o tal do mata-borrão. Ahmm??? Papéis picados, rolo de papel higiênico, cola colorida, alguns botões e mata-borrão! Fala sério.  Que diacho é mata-borrão? Traumatizei...

Voltando ao nosso projeto super legal com abóbora e limpadores de cachimbo:  No final do trabalho, eu olhei pra nossa Princess Pupmpkin e disse: "Parla!" Martha Stewart era pouco pra mimMe senti o próprio Michelângelo. Muito orgulho! Fotografei de vários ângulos, como vocês podem ver. Lá fomos nós levar nossa abóbora.




Vejam a criatividade das outras mães. Nossa princess ficou lá, no meio do Mike Azalski, da Carruagem da Cinderela, do Elmo, de uma dálmata bombeiro (cujo chapéu ficava  na cabeça do dono e não na abóbora) , de uma aranha supersimpática e umas coisas abobrais monstruosas não-identificadas




Mais festa: acabou a aula da Bia, o concurso das abóboras (todas as crianças ganharam um pequeno prêmio), e fomos nós pra festa da First Baptist.  Essa festa se chamava Hootenanny party (mais uma vez, nada de Halloween). A  decoracão era toda country, palco com música country, grupos tocando banjo, humor com caipiras, essas coisas. Tinha muita opção, festa imensa. Pinturinha facial, pula-pula, zoológico, trenzinho, payground, shows, concursos e muito mais. (Pareceu propaganda de carro-de-som, mas tudo bem. Leia de novo e ponha um som aí na sau cabeça pra ver: Pinturinha facial, pula-pula, zoológico, trenzinho, payground, shows, concursos e muito mais. ). 
A comida era paga, mas todos os brinquedos e atracões eram de graça.
Laura cansou de ser porco e quis ser princesa também.  By the way, por que todo mundo achou que ela era uma ovelha?? Ovelha rosa, gente?





Ao chegar, todos recebiam um bracelete fluoresecente com um versículo: Vós sois a luz do mundo. Tamanho de criança e de adulto, todos usaram durante a festa. 
Todas essas festas foram  de entrada livre, com notável participação de voluntários das igrejas, tomando conta dos brinquedos, fazendo pipocas, ou dando doces nos porta-mals dos carros. 
Fechamos o dia 31, indo de porta em porta com as crianças para pedirmos os doces. Mais uma vez: não sei dizer quem se divertiu mais, quero dizer, eu sei...
Saíram com os baldinhos vazios, Laura sem entender muito, achando que ia pra praia...




Mas, na primeira porta, ela entendeu!  Mandava um "Twick all tweet! " (trick or treat da dona Cebolinha  americana) e  ia enchendo a capanga... A foto acima foi da casa preferida. A própria Branca de Neve que deu os doces. Uma verdadeira reunião real!!


Final do dia, depois de concurso de abóbora, festa country, fantasia de porco, de princesa, arca de Noé e ainda mais, depois de de andar  7 blocos e 180 apartamentos,  o balanço foi esse: baldinhos lotados, crianças felizes, pai e mãe quebrados...