sexta-feira, 16 de novembro de 2012

"A Fazenda"

Querido blog, queridos leitores, queridos seguidores: Que saudade!
Mais de 10 dias sem por os pés aqui ( aliás, as mãos)!! Já estava ficando louca de vontade de escrever um pouquinho. Sabe aquele comichão que dá na gente? Uma loucura pra blogar, uma coisa inexplicável. A razão do meu sumiço é meio inexplicável também. Uma mistura de dias angustiantes com dias atarefados, Laura doente mais uma vez, Bia doente também, entre outras coisitas mais. Talvez, também tenha sido o peso dos meus 35 anos (é, foi dia 8! Parabéns pra mim). Eu não sei... Mas, o fato é que aqui estou novamente, pronta pra compartilhar minhas histórias, minhas vivências, matar um pouco a saudade, fazer minha higiene mental e fazer rir (um blog serve pra isso tudo, que coisa, né?). Só falta ganhar dinheiro... Mas, isso, gente, sem hipocrisia, é o "de menos". Ganhar o suficiente pra viver já está ótimo (é que no nosso caso, tem sido zero dólares, então, isso me incomoda um pouquinho...). Mas, está bem assim, fazia parte dos planos. E " o que é acertado antes, não sai caro", como diz Dr. Marido. Neste momento, enquanto escrevo, tem uma menina batendo porta, um marido gritando me pedindo pra olhar as meninas direito, uma criança média choramingando. E eu aqui... fazendo terapia porque senão, não aguento o rojão.
Estou bem atrasada com as novidades, mas vou tentar postar aos poucos. Não sei se vou conseguir, pois  semana que vem é Thanksgiving - Ação de Graças, e isso significa crianças de férias (uma semana inteira!!!). Pra mim, isso quer dizer ficar meio sumida do blog de novo.
Na minha mente fértil de pseudo-escritora, teria um post específico para o meu níver de 35 anos - data importante na vida de uma pessoa, podemos supor. Mas, não vai ser hoje. Passou tanto do tempo, e talvez não seja nunca... Aí eu me lembro que: NUNCA DIGA NUNCA!! Então, pode ser que um dia role um post sobre isso. Hoje não...
Tem ainda um monte de novidades das meninas, as palavras trocadas, o inglês superbonitinho, a Bia me corrigindo (!!!), umas coisas fofas. Mas, também não vai ser hoje.
Dia 3 de novembro fomos na  tal fazenda das abóboras.  E é sobre isso o post de hoje. Primeiro, porque foi um passeio super americano e interessante. Segundo, porque foi um dia muito importante pra mim. Foi o dia que finalmente, recebi meu diploma. DIPLOMA de PEREIRÃO OFICIAL, com louvor. Acho que a tal novela já deve ter acabado,  mas a idéia permanece: UMA MULHER MACHO, SIM SENHOR. Sei que peguei as duas pequenas (porque a adolescente não quis ir nem pra conhecer...) e lá fui eu SOZINHA, levar as meninas na tal fazenda. - Dr Marido está num curso intensivo que rouba seus fins de semana.  Dirigi mais ou menos 70 km pra ir e mais 70 km pra voltar. Fui meio dia, voltei 5 da tarde. Pereirão. Levei as meninas no Pumpkin Patch (Colheita das abóboras), no Corn Maze (Labirinto de Milho) , andamos de Cow Train (carrinhos puxados por um trator em movimentos circulares e serpiginosos - altamente recomendados pra quem tem labirintite como eu #sóquenão).  As meninas amaram, fiz até um vídeo com a risada delas, mas desisti de postar). Carrrinho pra cima e pra baixo, mas em muitos momentos, deixei elas correrem ( aproveitando um pouco da liberdade sem Dr. Marido por perto). Correram, tomaram chuva.  (Será que foi por isso que adoeceram, gente? OMG!), pularam, se sujaram. Vimos corridas de porcos, patos na lagoa e tudo que se vê numa típica fazenda americana, incluindo o celeiro pintado de vermelho e fazendeiros com macacões jeans.  Também passeamos por entre campos de árvores de Natal. Interessante esse negócio das árvores de Natal, pois aqui elas são de verdade. Digo, vivas. Um dos programas das famílias nessa época  é ir a uma fazenda de pinheiros e escolher aquele que será a Árvore de Natal do ano ( claro, pois ela dura apenas uns 30 dias, depois disso, seca e o povo joga a árvore fora e guardam apenas os enfeites).  Não me parece ecologicamente correto, mas tratam-se de pinheiros plantados exclusivamente para isso. Não posso ser hipócrita de ficar com dó da árvore, enquanto como meu belo pedaço de bife. Matar árvore não pode e matar o boi pode? Pois é. Sem dó dos pinheiros, então. A temporada para o corte das árvores começa dia 23 de novembro, logo após o último suspiro das abóboras. E para quem vai comprar a árvore ( que custa em média 100 dólares), a entrada é de graça pra família. Vale a pena!
Nós nos divertimos muito. Consegui tirar as fotos das meninas no campo de abóboras, apesar de que tinham bem pouquinhas (fui depois do Halloween, o povo já tinha comprado quase todas as abóboras daquele campo, principalmete as maiores, pra fazerem jack-o-lnterns). Mas, o ingresso era metade do preço, então eu acabei deixando pra ir depois, de propósito...Tempos difíceis! O preço normal é 12 dólares por pessoa. O link é esse aqui.

 Fazenda americana típica, com o celeiro vermelho




 "Christmas trees".

  O famoso "Pumpkin Patch".





Parque de diversões para as crianças



 O nosso transporte dentro da fazenda. Olha a chuva querendo chegar.




 O "Velho Oeste" é aqui. A chuva chegou. Olha a situação da calça das crianças.



Meninas se esbaldando no feno. E fugindo da chuva.







Cow train



Corn Maze. Pura lama. O carrinho ficou imprestável! Desistimos de achar a saída e saímos pela entrada...





Olha que fofos os porquinhos e os pôneis!




O que restou das abóboras pós Halloween



Em suma, voltei pra casa com uma baita dor de cabeça ( ser Pereirão não é nada fácil), mas valeu cada centavo, cada quilômetro e cada ibuprofeno. Espero voltar no ano que vem. 


8 comentários:

  1. A D O R E I !!!
    Seja bem vinda, estava sentindo falta mesmo, hahahha.
    Adorei a ideia do Christmas tree, assim que chegar vou la fazer a aquisicao de um pinheirinho, acho que a Mnauela vai ADORAR.
    Alias, melhor do que a ideia da fazendinha foi o comentario sobre a vaca, OBVIO, ninguem tem pena de comer vaca e frango mas tem de comprar pinheiro natural, faz todo sentido, ri muito.
    Saiba que voce foi capaz ed convencer meu marido Sr. Correto a adquirir um pinheiro. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, BIa! Pede pra ele ler o comentário da Lorna lá embaixo, ele vai ficar ainda mais animado!!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Cris, estava morrendo de saudades dos seus posts! Vc faz falta na blogosfera. :D Adorei essa fazenda, parece que alguém além das crianças também se divertiu né? Parabéns atrasado!! Ah, como você encontrou brasileiros na sua cidade? Já joguei no google, mas ainda não achei. Queria ver se tem um grupinho aqui também. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carol. Relamente, aproveitei mesmo! Quanto aos brasucas, tenta procurar no facebook. No meu caso, foi em uma pracinha. Encontrei uma brasileira e ela me apresentou o grupo. Chama-se Brazilian Moms in Houston. Tenta procurar "Brazilians in Saint Louis" ou "Brazilians in Missouri", algo assim. Boa sorte!

      Excluir
  3. Oi!!!! estava com saudadessss...
    e menina que delicia de passeio.... nossa!
    Se sabe que vi muitas coisas decoradas aqui com áboboras, porém não vi muitos eventos... esta muito friooo... e não estamos animando muito de sair de casa.
    E este tipo de passeio é bem bacana, por que toda a família acaba se divertindo né?
    e o Natal? vai ficar por aí? ou irão para o Brasil?
    beijossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Ana! Iremos pra Disneyworld!! Todos os meus irmãos , cunhados e sobrinhas, além dos meus pais!!! Pensa que sonho!! Estou contando os dias.
      Beijos!

      Excluir
  4. Que delícia, Cris!
    Lá na bahia, quando a mulher é destemida e resolve as coisas, a gente fala que é mulher de gado!
    Ai, fiquei louca para ver a risada das pequenas :)
    Ps: eu também achava que matar a árvore para tê-la por 30 dias não era ecologicamente correto, mas quando estive em Montreal, tive uma aula sobre o assunto. por exemplo, digamos que uma família compre uma árvore de plástico a cada 10 anos. Cada árvore dessas leva 200 anos para se decompor. Já o pinheiro, vem de uma fazenda que é desenvolvida para isso (você compra uma, eles plantam outra no lugar) e a decomposição é rápida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, sou mulher de gado, modéstia a parte!! Adorei a história do pinheiro, mais um ponto a favor! BJs!

      Excluir