quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Back to School - Volta `as aulas parte 3


segunda diferença é, ao meu ver, a maior de todas: O ensino público nos EUA é  uma opção para famílias de classe baixa, média e alta. 
Vou explicar melhor. 
Até os 5 anos de idade, a escola é opcional e, portanto, o governo não paga por isso. Isso significa que não há escola pública pra essa faixa etária. É muito comum aqui as crianças até os 5 anos ficarem com as mães, que largam suas profissões para cuidarem dos filhos. (Muitas retornam para sua ocupação anterior depois que os filhos vão pra escola, outras gostam tanto de serem exclusivamente mães que assim permanecem para todo o sempre). Isso não causa espanto, não é considerado inadequado e nem existe preconceito. Pelo contrário, é até um certo "status" a mãe dizer que não trabalha fora e que sua vida é cuidar do marido, dos filhos e da casa.
Para as mães que trabalham fora, ou estudam, ou para mães que consideram importante a exposição precoce da criança ao ambiente de aprendizado, ou para mães que achem difícil lidar com a casa e com as crianças... enfim,  a opção é sempre o ensino privado. 

Em minha vida pessoal, alguns conhecidos e amigos me perguntam aqui nos EUA: "Se vc não está trabalhando, por que suas filhas pequenas estão na escola? Seria uma economia enorme se elas ficassem em casa." A minha resposta é simples: primeiro, não dou conta do recado de ser super-mãe em tempo integral. Segundo, porque quando viemos pra cá, uma coisa era certa: andar pra frente. Entendemos que sacrificar alguns luxos seria aceitável, mas NÃO ECONOMIAS COM SAÚDE E EDUCAÇÃO!! Isso sempre foi prioridade pra nós. Se ficássemos no Brasil, elas iriam pra escola (no Brasil, é comum e esperado que a criança vá pra escola a partir de 2-3 anos, muitas vezes antes disso).  Sim, mesmo tendo babá(s), elas iriam. Aqui não seria diferente. 

A partir dos 5 anos de idade, o ensino público passa a estar disponível, e assim será até a criança concluir o Ensino Médio - High School. As escolas públicas são bem heterogêneas. Existem escolas de altíssimo padrão de ensino e estrutura, assim como escolas sucateadas e de ensino fraco (como acontece com as escolas no Brasil , aqui também tem escolas boas e ruins). Mas, em geral, as escolas são boas. 
O Estados têm um sistema de classificação, no qual as escolas são avaliadas em exemplary, recognized, academic acceptable e academic unacceptable / exemplar, reconhecida, aceitável academicamente, não-aceitável academicamente. Além dessa classificacão, as escolas são "rankeadas", isto é, são avaliadas e colocadas em um ranking ( americanos adoram ranking!!), com a performance/posição que a escola ocupano total de escolas da cidade, Estado e até do país. Por exemplo, escola X, exemplary,  5º lugar da cidade, 23º lugar do Estado. Também é possível ver a relação professor/aluno, a composição, étnica da escola ( % de negros, brancos, latinos, índios, asiáticos...pra quê, eu não sei...), e a performance em notas dos alunos, % de alunos que se formam, que entram na faculdade, etc, etc, etc... Interessante é que todas estas informações muitas vezes são achadas nos sites das imobiliárias.  Isso mesmo. A primeira coisa que as pessoas pensam quando vão comprar ou alugar uma casa, é se a escola pública da área é uma boa escola.

A área escolar: Top priority para compradores de imóveis.


Explicando:
Geralmente, as boas escolas estão nas boas áreas residenciais da cidade. A cidade está dividida em School Districts ( Distritos Escolares), que são organizações ligadas ao governo, porém independentes para coordenar as escolas daquela área. Os impostos pagos pelos imóveis variam de distrito para distrito, sendo mais caros nos melhores, o que eleva os preços dos imóveis nessas áreas. Mesmo assim, consegue-se uma grande diversidade dentro das escolas, com gente de todas as classes sociais tendo acesso ao mesmo padrão de educação. Não é como no Brasil, onde a escola pública é a única opção pra quem é pobre, e nunca uma opção pra quem pertence as classes média e alta. Salvo raríssimas exceções. Além disso, no Brasil, encontrar uma escola pública de qualidade é mais difícil do que encontrar uma agulha em um palheiro. Só consigo pensar agora em UMA escola pública no Rio de Janeiro, onde também tem filho de rico. 

Outra coisa - se você está na subdivisão X daquela escola X- você só pode ir para aquela escola. Independente do número de vagas, a escola é "obrigada" a te aceitar. Em compensação, você não pode morar em uma attendance area X e frequentar a escola Y. Na hora da matrícula, eles vão pedir sua prova de residência - o contrato de aluguel ou as taxas pagas pela casa, com prova de endereço. Se quiser morar na X e frequentar a Y, você pode tentar uma permissão pra isso, desde que sobrem vagas. 
Uma exceção são as escolas charter, misto de pública e privada, mas não conheço muito bem sobre a realidade dessas escolas, não vou me aventurar a falar sobre isso aqui. Fica para uma outra oportunidade.


Os distritos escolares de Houston e arredores.


Então, se o país tem  excelentes escolas públicas , como as escolas privadas sobrevivem?
A escola particular passa a ser uma opção para pais que buscam algo específico para seus filhos, que a escola pública não oferece. Por exemplo, quer oferecer educação cristã?  A escola pública não oferece - o Estado é laico. Mas, tem uma porção de escolas batistas, presbiterianas, metodistas... que podem oferecer este tipo de ensino. Private. Mesma coisa para quem faz questão de uma educação católica -  Escola Santa Cecília, São Tomás de Aquino, São Francisco e uma porção de outros santos. Private.
Escola hindu? Tem. Árabe? Tem. Escola para judeus? Tem também. Private, private, private.
Eu particularmente, nunca vi tanta opção de escola, não sabia que uma cidade pudesse ter tantas! Instituições bilíngues, com imersão em mandarim, italiano, alemão, japonês, coreano, chinês, (ainda não sei se tem em protuguês) Escolas de estilo europeu, escolas-internato, onde os alunos moram na escola, escolas muçulmanas, suiças, internacionais, e etc. 
Quer escola só pra meninas? Tem. Só pra meninos? Tem também. Enfim, um arsenal de possibilidades. Pra todos os gostos ( e bolsos). Variando de 700 dólares a 2,500 mensais!! 

Minhas filhas pequenas estudam em escolas cristãs, e estou muito satisfeita com o ensino e a abordagem oferecida. Mas, completando 5 anos, irão para a escola pública. Este também é um caminho muito natural - a criança ficar na escola particular durante a pré-escola e mudar para a pública no Kindergarten (Alfabetização). Aqui,  faremos assim: ensino de primeira qualidade particular até que o Ensino Público esteja disponível - de primeira qualidade também.  Sem (muita) dor na consciência. A não ser que algo extraordinário aconteça, do tipo: acordar milionária.



12 comentários:

  1. Cris, e a sua filha mais velha, como ela está na escola? Adaptada?

    Os americanos se amarram nesse negócio de cor. Toda ficha que você preenche tem esse espaço. Se for bem misturado, eles usam o dado como algo positivo, pelo menos aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorna, ela AGORA está bem. Afinal, esse ano ela é SENIOR, isso tem agregado um certo prestígio e ela está se achando! Rsss
      Acho que o negócio da cor é visto com algo positivo também, tipo: temos diversidade cultural. Mas... creio que tem gente que olha o perfil étnico da escola para fins de puro preconceito. Do tipo:" tem muito negro nessa escola, não quero ir pra lá". "Tem muito latino aqui nessa outra, deve ser nível ruim."
      P.S. : escolhi essas duas etnias (negros e latinos) porque são geralmente as que sofrem maior preconceito.
      Abraços
      Cris

      Excluir
    2. Que bom que ela esta mais integrada. e voce esta certa, as pessoas usam as informacoes pro beme pro mal neh?

      Excluir
  2. Cris, que post BACANA!!!!!
    Já procurei saber como é o ensino nos EUA (temos alguns planos de TALVEZ depois do doutorado vivermos por aí, mas ainda são planos na etapa SONHOS), então pela primeira vez li um material tão bem "explicadinho", com riquezas de detalhes e com uma clareza! Você escreve muito bem e tem uma facilidade de explanar o assunto com muita clareza.
    Olha agora ficou claro pra mim como funciona o sistema educacional.
    Achei muito importante sua observação sobre o "Local " que você escolhe para morar, sabendo antes sobre a escola que se encontra ali... Dúvida: se você escolheu e "alugou/comprou" uma casa em um bairro X, devido a escola, é certeza você conseguir matricular seu filho nesta escola??
    Pergunto isso, pois aqui na Alemanha a principio teria isso, mais por exemplo a Valentina não conseguiu escola nas proximidades, acabou tendo vaga pra ela em outro bairro, porém a escola é muito boa. Agora também fiquei na dúvida se esse critério "bairro" vale a partir da "Schule", acima de 7 anos. Pois a Valentina ainda esta no Kindergarten (5 anos).
    Bom sobre a Universidade seria Privada ou Publica, e as duas super concorridas!!!! né?
    Olha Cris MUITO legal este post!!
    beijãooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana. Obrigada por ser participadora assídua do blog!
      Menina, até onde eu sei a escola é obrigada a te aceitar, porque foi isso que falaram pra gente. Porque viemos aqui um ano antes conversar e chegaríamos de vez quase no final do ano letivo (abril). A diretora foi clara: "Se você morar na área, temos que aceitar sua filha. Somos obrigados. Terá lugar pra ela. " Isso pode nãos ser uma realidade no país inteiro, e pode mudar até mesmo de distrito para distrito.Algumas escolas especializadas em "gifted Kids" ou seja Crianças com altas habilidades, não têm vagas pra todos. POr isso, ƒazem prova. Precisa passar na prova e comprovar a alta inteligência alegada. E mesmo assim, algumas ainda fazem loteria de vagas. OU seja, tem de todo jeito. Mas, no geral, morar na área X garante a escola X. Salvo essas exceções.
      Beijocas
      Cris

      Excluir
    2. Entendi Cris... achei muito bacana.
      Adoro seu blog, sua maneira franca e clara de escrever, por isso sempre estou aqui!!!!
      : )
      Beijos e bom fim de semana para vocês

      Excluir
  3. Oi Cris!! Que belo post!! Queria saber se as meninas ao entrar na escola publica tem que ter visto ou algo assim??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O visto que temos dá direito `a escola pública. O visto de turismo por examplo não dá...
      Na prática, porém, todas as crianças independente do status imigratório têm direito `a escola. Com visto ou sem visto, legais ou ilegais. Eles não pedem o visto para matricular na escola pública. Isso ocorre no Texas, mas acho que deve ser assim no restante do país, também.
      Abraços
      Cristiane

      Excluir
    2. Cris, aqui no Alabama, com a nova lei da imigracao (e eu imagino que isso deve acontecer em outros estados com lei semelhante), a crianca precisa mostrar o visto para se matricular. Sem visto, a escola eh obrigada a chamar a policia.

      Ps: Quando eu digo que isso aqui nao eh um bom lugar, algumas pessoas ficam dizendo que eu sou chata, mas aqui eh tudo diferente do resto do pais, pra pior :(

      Excluir
    3. Que triste, Lorna. Fico com pena das crianças, elas não têm culpa.. A opção de estar no país de forma ilegal não é delas, elas não deveriam pagar por isso.
      Abraço
      Cris

      Excluir
  4. Aí dá pra ter escola pública de qualidade, são outros 500. No Brasil, quem não consegue pagar uma particular, tem que depender da inteligência do filho pra conseguir algo bom. Basicamente isso, falta muita estrutura nas escolas públicas, principalmente pq outras crianças "nas mesmas ou piores condições" estarão juntas.

    Suas filhas têm sorte.

    Kisu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Bah! É um privilégio grande demais,mas elas só vão entender com o tempo!
      Beijos!
      Cris

      Excluir