quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Adeus, Ano Velho

Eu queria dizer que 2014 foi o ano que meu marido recebeu sua sonhada licença médica americana e começou a atuar como anestesista nos Estados Unidos. Mas foi o ano que eu perdi meu pai.
Eu poderia dizer que 2014 foi ano que troquei de visto para um melhor. me mudei pra uma casa no subúrbio, com quintal no fundo e crianças brincando na rua. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
Eu bem que gostaria de dizer que 2014 foi o ano que minha filha se formou na High School, como nos filmes. Que ela foi ao baile, como nos filmes e que foi a mais linda entre todas as colegas. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
 2014 foi ainda o ano que minha filha mais velha começou a faculdade dos sonhos e saiu de casa, dando um passo importantíssimo na vida dela. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
 2014 foi o ano em que fiz grandes novas amigas e estreitei os laços com as velhas.  Foi o ano que minha filha do meio aprendeu a ler de verdade e está lendo vorazmente! 
2014 foi o ano que assumi meu lado Amélia em tempo integral, sem medo e sem (muita) culpa. Assei, cozinhei, fiz artesanato e costurei.
2014 foi o ano que me aproximei mais de Deus, assumi mais compromisso com Ele e com as coisas Dele. 
Mas, foi o ano que perdi meu pai.
E por mais que eu tente, por mais que eu queira, por mais que eu me esforce... 2014 foi e sempre será o ano que eu perdi meu pai. E isso me embaça os olhos, me ofusca a visão, me torce a garganta. Isso entorta minhas palavras e me tira o sono. 2014 ecoará pra sempre na minha memória como o ano mais triste da minha vida.
2014, o ano que perdi meu pai. 
Adeus, Ano Velho. 
Que venha 2015 com novidade de vida para todos.  Que venha uma nova perspectiva para todos nós. Que eu consiga olhar pra trás e dizer:

 2014, o ano que meu pai foi pro céu. 

E assim, fica mais fácil ser feliz.

Feliz Ano Novo!


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Desenvolvendo um coração agradecido




Em tudo dai graças, pois esta é a vontade de 

Deus em Cristo Jesus para convosco.”

1 Tessalonicenses 5:18



Em tudo dai graças.”

Desde pequenina, ouço este versículo. 

Geralmente, isso acontecia quando a situação não 

estava muito boa. Sim, quando algo não saía 

como o planejado, este era o momento em que 

este versículo surgia em meio `as conversas. Um 

revés no caminho, uma pedra, um tropeço: “Em 

tudo dai graças”. Uma decepção, uma demissão, 

uma doença: “Em tudo dai graças”. Um filho que 

não nasceu, uma cura que não veio:  “Em tudo 

dai graças”. Confesso que sempre achei muito 

estranho  alguém poder agradecer por tantas 

coisas ruins.

Eu não conseguia compreender por que  Deus 

queria que fôssemos gratos por algo triste ou 

desagradável. Por toda a minha adolescência,  

continuei a ouvir este versículo - sempre em 

situações desfavoráveis. Cheguei a fazer alguns 

questionamentos. Que fé seria essa que nos exigia 

agradecer por tudo? Um tipo de lavagem cerebral 

que nos aliena? Um Deus que nos pede para 

agradecer por um diagnósstico ruim ou por uma 

porta fechada  me parecia exigente demais… 

Como seria isso possível?

Pouco a pouco, examinando as Escrituras Sagradas, fui 

entendendo o que Deus queria me dizer. Um pequeno 

detalhe linguístico faz toda a diferença. A Bíblia 

nos  diz  “em tudo” e não “por tudo.”

Uma outra tradução (NVI) esclarece ainda mais o 

significado: "Em tudo dai graças" é na verdade “Dai 

graças em todas as circunstâncias”. 

Penso que o que Deus quer de nós não é negação da 

realidade `a nossa volta, não é  nossa alienação frente `as circunstâncias. O que Ele 

nos ensina é que Ele deve ser o foco da nossa 

gratidão - e não os acontecimentos. Deus quer que 

nós sejamos gratos a Ele independentemente da 

situação. Não precisamos de circunstâncias 

favoráveis para  sermos gratos. Agradecemos por 

quem Deus é e por tudo que Ele nos faz-  essa é a 

base de um coração agradecido..

Uma atitude de gratidão começa reconhecendo 

que Deus é bom e  que a vida em si é uma dádiva 

graciosa dEle.  De uma forma prática,  “ Em tudo 

dai graças” significa que mesmo quando as coisas 

não vão bem, somos gratos a Deus.  Porque nossa 

gratidão é pelo amor dEle por nós e não pela 

nossa situação, quer seja boa ou ruim. Porque Ele faz por 

nós diariamente muito mais do que merecemos… 


Compreender essa gratidão, me fortaleceu no decorrer dos anos.  Pude pôr em prática em momentos

 ruins. Foi esse tipo de gratidão genuína que me deu um coração 

capaz de suportar a tristeza quando meus bebês não nasceram, porque pude agradecer pela filha que

eu já tinha. Foi um coração agradecido que me fortaleceu para superar a dor quando a cura do 

meu pai não veio - mesmo depois de termos pedido tanto! -  e ele se foi...

Pude agradecer por ter tido o privilégio imenso de tê-lo como pai - pelo tempo que Deus determinou.


Olhe `a sua volta...Quantas bênçãos Deus tem derramado em 

sua vida? São incontáveis!! 

Que possamos a cada dia olhar para Deus e 

agradecê-lo pelas inúmeras bênçãos que Ele nos proporciona.

Quer os dias sejam bons, quer sejam maus.


 Cristiane Tuma





P.S.: Hoje meu pai completaria 65 anos de idade e é a primeira vez que não vai ter festa. Dia mau e difícil.


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Reflexões de aniversário

     Os 37 chegaram implacáveis: os cabelos brancos não só teimam em aparecer como teimam em ser maioria... Os olhos que já são pequenos, estão ainda  menores, espremidos por umas ruguinhas que não estavam ali há um ano atrás ( Eu juro! Não lembro delas...)
     Os 37 também chegaram com uma tristeza no fundo do coração por aquela ligação que não veio pela primeira vez... aquela benção costumeira  de todos os anos que  dessa vez não recebi e me fez uma falta danada. Porque ele sabia dar parabéns como ninguém!
     Mas, Deus gosta de surpreender a gente... E foi assim, antes que toda essa tristeza viesse `a tona e me roubasse a alegria de celebrar mais um ano de vida, que Ele me deu amigos de presente. E no alto dos meus 37 anos, ganhei quatro festas! Isso mesmo! Quatro! Com direito a bolo, brigadeiro e balão.  Festa como há muitos anos eu não fazia. E como há décadas (sim, sou velha) eu não ganhava!!
     Os 37 anos chegaram mesmo com festa. Festa por esses amigos maravilhosos que me fizeram sentir especial. Festa por ter vizinhas brasileiras! Festa por ter nascido em novembro - é outono aqui  e outono é minha estação favorita!! Festa por ter uma família linda, com  marido e filhas que só me enchem de orgulho. Festa por ter mãe e irmãos que me amam e estão todos bem. Festa por ter tido um pai que fez a diferença na minha vida.
     Depois de 36 anos recebendo as felicitações mais belas do mundo, sigo agora com os ecos daquela voz que tanto me abençoou. E que farão ressonância durante todos os meus anos de vida. É como se eu fosse ouvir para sempre, a cada 8 de novembro:

" Parabéns, filha, que Deus te abençoe ricamente. Que ele te dê muita saúde, paz, prosperidade. Que você continue andando nos caminhos de Deus. Que você tenha sabedoria para conduzir sua casa, que você tenha paciência com suas filhas, Que você tenha amor pelo seu marido e pelas suas filhas. Que você seja dedicada em tudo o que faz, que você continue sendo uma excelente mulher, uma mãe sábia, uma esposa temente a Deus. Que Deus te abençoe em todas as áreas da sua vida . Que você seja uma médica excelente, estudiosa, que tudo que você fizer possa prosperar, que você seja ande cada dia mais  debaixo da vontade do Senhor. Que sua família seja abençoada em todo lugar que andar e em tudo quanto fizer.  Papai te ama muito"
Algo assim...

Eu não falei que ele sabia dar Parabéns?


Festa 1 - BMH friends


Festa 1 - BMH friends
Festa 1 - BMH friends



Festa 2 - BPC friends
Festa 2 - BPC friends
Festa 3 - Vizinhas!! 
Festa 3 - Vizinhas!


Festa 4 - BMH estudo bíblico das manhãs

Festa 4 - BMH estudo bíblico das manhãs 





   

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Coisa de maluco

Aí, a pessoa resolve emagrecer. Mas, só quer saber de cozinhar. Em um dia tem pão caseiro, no outro dia bolo de cenoura com cobertura trunfada. Em um dia tem purê de batata, no outro tem feijoada. Ou churrasco. Ou macarronada. Ou lasanha. E queijo com goiabada.
...
Aí, a pessoa resolve prestar prova pro doutorado. Começa estudando 2 horas por dia. 2 horinhas? Moleza! Espreme o dia pra dar conta da roupa, da cozinha, da arrumação. Não dá.  Passa pra uma hora de estudo por dia. Mas, precisa arrumar o playroom, guardar a piscina plástica que está há dois séculos secando no quintal. E arrumar os livros. E lavar os banheiros. E aspirar a casa. Passa pra meia hora de estudo por dia. Não tem tempo mais nem de respirar. A pessoa desiste de tentar o doutorado esse ano.
...
Aí, a pessoa resolve espairecer pelo condomínio. A vista é linda, mas as casas estão levemente decoradas com esqueletos, túmulos e reunião de fantasmas. Tem até a cabeça de um bebê cortada e ensanguentada "enfeitando" um jardim . Cruz credo.
...
Aí, a filha chega cantando a música da "Boa Constrictor". Primeiro, a mãe tenta entender o que a pessoinha está falando. "Boa" pode ser "Bowel", "Bowl", "Bow", "Bowl of"...  A mãe pensa em tudo menos em "Boa", que afinal não é uma palavra em inglês. Mas, enfim,  a mãe vai ao youtube para cantar a música com a pequena. Qual não é a surpresa da mãe da criança! Trata-se de uma música que fala sobre uma criança sendo engolida por uma sucuri. (Boa constrictor é o nome científico do bicho)  Hello? É isso mesmo que estão ensinando nossas crianças?  Pode isso, Arnaldo? Vai ser ecologicamente correto assim lá nos headquarters do Greenpeace!
...
Aí,  a pessoa dá uma olhadinha na página do condomínio no facebook e descobre que pode receber a qualquer momento, a visita inesperada de um jacaré ( sim, apareceu na porta de uma casa no condomínio vizinho), de uma cobra ( aqui no condomínio mesmo), ou de um coiote ( um lobo dessas bandas). Sem contar gambás inofensivos, não fosse pelo aroma. Olha que básico!
..
Aí, a pessoa cansada de tanta maluquice, resolve terminar a semana ( ou começar, depende do ponto de vista), tomando um suco verde detox enquanto esculpe a própria abóbora e percebe que está cantarolando a música abaixo.



Coisa de maluco.





sexta-feira, 12 de setembro de 2014

VELHA

Mais uma pérola das pequenas comigo, pra animar essa sexta-feira. Confiram o diálogo.

B= Mãe, tinha esse joguinho aqui na sua época? (mostrando o ipad)
M= Não, bem. Na época da mamãe não tinha ipad.
B= E tinha esse joguinho no celular?
M= Não, amor. Na época da mamãe, não tinha celular.
B= E no computador?
M=Não, baby. Na época da mamãe não tinha computador.
B= E Playstation?
M=Não.
B= Wii?
M=Nope
B= (pensa, pensa.)

Mãe... vc nasceu antes ou depois de JESUS???
***

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Conselhos de mãe

Na última quarta-feira, dia 20 de agosto, nossa filha mais velha saiu de casa. Digo, se mudou de vez para a Universidade.  Assim fica mais fácil, né? Não é possível descrever as emoções daquele momento. Foi algo único, muito especial. Não, não teve choro (quero dizer, só uma lagriminha que teimou em aparecer), não teve drama, nem desespero.  Pelo contrário, me senti realizada em saber que o motivo pra sair de casa era esse:  a busca da melhor formação acadêmica possível. Minha realização pessoal  traduz a oportunidade de oferecer a ela uma experiência única: a de cursar uma universidade americana e de todo o "plus" que isso carrega.
Na hora da despedida, não dá pra dizer muita coisa. É viver o momento e pronto. Mas, eu sempre insisto em dizer coisas  - gosto de palavras. E foi assim que resolvi oferecer `a minha menina 66 palavras, ou melhor dizendo, 66 conselhos de mãe. Escrevi uma carta de próprio punho e deixei no dorm pra ela abrir quando a gente fosse embora. Eu chamei de Route 66.  Essa é a rota que eu desejo que ela trace pela vida e que hoje compartilho com vocês. (Está em inglês, como no original.)
***

ROUTE 66

1. STUDY.
2. REST.
3. MAKE NEW FRIENDS.
4. EAT HEALTHY.
5. SLEEP EARLIER.
6. FLUSH.
7. TALK MORE.
8. TEXT LESS.
9. BE HAPPY.
10. FORGIVE.
11. SPEND WISELY.
12. BRUSH YOUR TEETH.
13. PRAY.
14. DANCE.
15. BRING A SWEATER.
16. WAKE UP EARLIER.
17. LAUGH.
18. DON'T DO DRUGS.
19. KISS.
20. GO TO CHURCH.
21. EXERCISE.
22. READ THE BIBLE.
23. DON'T PUT ON SO MUCH WEIGHT!
24. DON'T DRINK THE PUNCH!!!
25. MORE PICTURES.
26. LESS SELFIES.
27. DON'T PICK THE FIRST FRIENDS.
28. DO NOT PROCRASTINATE.
29. VOLUNTEER.
30. CRY.
31. CALL ME.
32. WRITE SOME LETTERS.
33. BE AN A+ STUDENT.
34. FIND SOMETHING TO FIGHT FOR.
35. CHEER!
36. BE KIND.
36. STUDY MORE.
38. GO PARTY!
39. DON'T FORGET WHAT YOU'VE LEARNED AT HOME
40. USE SUNSCREEN.
41. CHANGE YOUR BEDSHEETS ONCE A WEEK.
42. LISTEN TO GOOD MUSIC.
43. DRINK MORE WATER.
44. MAKE GOOD CHOICES (EVEN IF NOBODY CAN'T SEE)
45. DON'T GET ALL RIDES.
46. THINK TWICE.
47. ENJOY!
48. BE GRATEFUL.
49. SAY PLEASE.
50. STICK TO YOUR PRINCIPLES.
51. MAKE MEMORIES.
52. LESS WHATSAPP.
53. MORE HAND NOTES.
54. LEARN.
55. TURN OFF THE TV.
56. WEAR YOUR GLASSES.
57. SAY I'M SORRY.
58. SHARE.
59. DON'T TAKE IT FOR GRANTED.
60. BE SILLY.
61. BE SERIOUS.
62. DON'T MESS IT UP!
63. DON'T PUT YOURSELF IN RISKY SITUATIONS.
64. LOVE YOURSELF.
65. LOVE YOUR FAMILY.
66. LOVE GOD, ABOVE ALL ELSE.

***







sábado, 26 de julho de 2014

Mudanças Disney


F=Mamãe, por que a  Mother Gothel roubou a Rapunzel?

M=Porque ela queria o poder que estava nos cabelos da Rapunzel.

F=Por que?

M=Por que ela  queria ficar sempre jovem e não morrer nunca.

F=(Pensa, pensa.)

F= Por que então ela não bateu na porta do castelo e ofereceu pra ser a babá da Rapunzel?  Aí, a Gothel brincava com ela, penteava os cabelos dela e ensinava a musiquinha do "Brilha linda flor" pra ela... A Rapunzel continuava com a mãe verdadeira e a Gothel conseguia o que queria.


Produção Disney, favor convidar minha filha para roteiros politicamente corretos.


Alguém que acompanha o blog sabe me dizer qual das pequenas deu essa ideia?

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Será?

Foi tudo lindo. A solenidade da formatura. O baile. A festa. O vestido. A formada mais bonita da turma.
Foi tudo lindo. A família do Brasil toda aqui. A solenidade. A celebração. A música.
Foi tudo lindo. A casa cheia. A casa nova. Ainda não falei da casa nova? Pois é. Foi tudo como manda o  figurino. A decoração. Os amigos. Os presentes. A comida.
Foi tudo lindo. Até mesmo a viagem inesperada ao Brasil. A Cidade cada vez mais Maravilhosa.
A tão sonhada troca do visto. O início oficial do "NeuroAnesthesia Fellowship". A re-entrada nos EUA para um novo tempo.
Mas...
Eu me pergunto se algum dia eu vou ser completamente feliz de novo.
Porque em cada acontecimento, ficou faltando um pedaço.
Um pedaço importante, vital. Um pedaço tão grande de mim, que me roubou a plenitude da felicidade. E o prazer de compartilhar.
Por trás de cada sorriso, uma lágrima. Por trás de cada vitória, um vazio. Por trás de toda beleza, a realidade feia. Aquele famoso silêncio que machuca tanto.
Eu até tento manter um coração agradecido. E olhar pra trás com gratidão e pra frente com fé.
Mas, mesmo assim, eu me pergunto se algum dia,  em algum lugar, eu vou ser completamente feliz de novo.
Peço que sim, mas tenho minhas dúvidas...

Que falta o senhor faz na minha vida, pai!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

A Formatura - parte I

Eu não sei se vocês já sabem, mas a nossa filha mais velha se forma em 10 dias. Formatura de High School, que é o Ensino Médio no Brasil. Então, pois se não sabem, agora estão sabendo. Parabéns pra ela, né?

Aqui, a formatura da High School é  algo badaladíssimo. Muita pompa e circunstância MESMO. Os alunos usam beca e capelo ( o chapéuzinho), tem hino,  tem bandeira, juramento, discurso e todo um código de etiqueta próprio de cerimônias de formaturas de Universidades no Brasil. Não temos isso para o Ensino Médio. Pelo menos eu não tive, nem meus irmãos e nem nenhum de meus conhecidos. Acho que tem algo do tipo em escolas militares e só.

 

Existe todo um prestígio em ser senior, ou seja, o formando do ano. Falei sobre isso aqui, em uma série de posts sobre High School nos EUA.
A cerimônia da Julia acontecerá no dia 31 de maio. Mas,  já recebemos umas três cartas de orientação para o tal dia. Onde estacionar, onde entrar, assento do aluno, o que ele pode usar (tipo de sapato, jóia, coisa de cabelo, etc..) Uma verdadeira formalidade. Todo um esquema de segurança é montado, pessoas são convidadas a se voluntariar, essas coisas. Para muitos, aquela será sua única formatura, pois nem todos -assim como no Brasil - optam por prosseguir o curso superior. Ainda mais aqui, onde todas as universidades são pagas, inclusive as públicas. Nem todo o mundo pode pagar, então alguns jovens já saem da High School direto para o mercado de trabalho.

Na formatura também são honrados os alunos com desempenho excepcional. O pendão do chapéu é diferente ou recebem medalhas. Os termos são clássicos e usados em sua forma original - o latim. São os alunos que se formam cum ladesuma cum lade, magna cum lade, Valedictorian e Salutatorian. Pra quem não sabe o que exatamente significam os termos, aí vai a tradução.

Cum lade - com honra.
Suma cum lade - com grande honra.
Magna cum lade - com a mais alta honra.
Salutatorian - o aluno com a segunda nota mais alta. Ele faz o discurso de abertura.
Valedictorian - o aluno com a nota mais alta. Ele é também o orador da turma e faz o discurso final.



As turmas aqui são geralmente enormes. A turma da Julia, que eles chamam de Class of 2014  tem mais de 600 alunos. Muitos não se conhecem, porque é possível fazer os 4 anos de High School e não fazer nenhuma matéria em comum com algumas pessoas (veja o post no link acima). O aluno preenche os créditos de uma maneira muito individual e personalizada, apesar de seguir os parâmetros mínimos exigidos pela grade curricular.



Outra coisa interessante são as graduation parties- as festas de formatura. A família do formando convida seus amigos mais íntimos para pequenas festas em suas casas. Pode ser depois da formatura ou mesmo antes. No mesmo dia, ou em outra semana, não tem muita regra.  Familiares e amigos, colegas de classe ou não, se reúnem para prestigiar o graduate - o formando - geralmente com presentes e mesmo com dinheiro. Vale lembrar que vários estão indo pro College ou University e isso significa morar sem os pais. (Dinheiro é muito bem-vindo nessa situação!) São muitas festas pra ir e o prejuízo pode ser grande! Mas é uma etapa que se conclui e merece ser celebrada.

Nessa época do ano, as lojas estão cheias de merchandising com o tema.  Guardanapos de chapéu e beca, enfeite escritos "Class of 2014", porta-retratos com o pendão do chapéu, balões de "Congratulations" e vários cartões com mensagens apropriadas.

Outro costume é fazer fotos profissionais do "graduate": um verdadeiro "book" como se conhece no Brasil e muito popular quando a menina faz 15 anos. (Aqui, o menino também ganha "book").

As fotos lindas da Julia quem fez foi a nossa amiga e fotógrafa Luciana Justice, uma sergipana arretadíssima e muito competente. Vocês podem conferir.

Na minha família, formatura sempre foi algo muito importante, por que sempre foi dado um alto valor `a educação e  cultura, acima de quase qualquer outra coisa. Meus avós participaram ativamente da formatura de TODOS OS 9 NETOS, pra vocês terem uma ideia. Viajaram quase dois mil quilômetros pra cada uma - na maioria das vezes. Meus pais sempre valorizaram muito a cerimônia civil de uma formatura, seja de familiares ou de amigos (Meu pai ficou conhecido por sempre ir de terno e gravata a todas as formaturas a que era convidado,  mesmo no calor peculiar de Goiânia.)

Eu orgulhosamente, herdei este legado. Recebi como algo de altíssimo valor e quero repassar isso `as minhas filhas. E é por isso que vamos celebrar com tudo que temos direito,  com família, amigos e um coração agradecido.

Congratulations, Julia! You deserve it. The best is yet to come.






terça-feira, 6 de maio de 2014

Ela avisou!

Conversa da Laura com o pai, dia desses.


L- DELLY ( Daddy), nao quero esse pedaço do meu cake.

D- Por quê, Laura? 

L - Tinha um branquinho nele.

D - Minha filha, não tem problema, é da cobertura. Pode comer.

L- Mas DELLY, I don't want it! 

D- Lalinha, é gostoso, não tem problema nenhum (pega o pedaço e come - para mostrar que nao tinha problema).

L- DELLY!!!! Era minha meleca!


Fonte: www.goodmenproject.com


sexta-feira, 25 de abril de 2014

Silly mommy!

Scene: Bia looking at a christian story book, showing a picture of Jesus in Heaven. Then, she calls me super excited.

Mommy, look here! Look, look ! Jesus is in heaven!  There's where grandpa went to live.
Don't be sad, mom! Jesus is with him, grandpa is not alone.

And there comes Laura, laughing at me
Silly mommy! You thought he was dead!!
:)
I love my kids!


Cena: Bia vendo um livro cristão infantil com um desenho de Jesus no céu.
E me chama pra ver o livro super empolgada:

Mamãe, olha aqui! Jesus lá no céu onde o vovô foi morar!

Não precisa ficar mais triste, mamãe, Jesus está com ele! Ele não está sozinho.
E a Laurinha  que estava prestando atenção na conversa, chega dando risada: Mamãe bobinha! Você achou que ele tinha morrido...
:)
Amo minhas filhas!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Primavera

Mais uma primavera chegando. Precisamente no dia 20 de março, começou no hemisfério Norte a estação das flores.
Um pouco antes disso já começam as mudanças.
Os olhos da gente que gosta de observar as coisas, já começam a contemplar esse mistério da Natureza.  Nos esquilos que voltam a correr de um lado para outro, vibrantes com a nova estação. Nas crianças brincando nas praças. No arco-íris das bolhas de sabão contra o sol. E ouvidos atentos podem escutar o canto dos pássaros depois de um longo silêncio, que durou meses.
Belos pontos azuis já despontam nos campos. São as bluebonnets, flor-símbolo do Estado da estrela solitária. Trazem consigo crianças e famílias, para eternizar o momento em uma típica paisagem da primavera.
Essas aqui são tulipas. 


Mais um pouco, e as ruas de Houston estarão lotadas de azaleias em todos os tons de rosa. Nos portões das casas, nos jardins, nos parques. Depois de um tempo de pouco verde e muito cinza, uma verdadeira explosão de cor vai encher nossos olhos e embelezar nossos caminhos.





Mas, o que mais me encanta na primavera não é tanto a beleza das flores. O que mais me encanta na primavera é esse início que acontece antes mesmo do desabrochar. Nesse início, consigo contemplar o milagre do nascer de novo. O milagre ao vivo, e a cores. Acontecendo no nosso dia-a-dia, nos pequenos acontecimentos no mundo natural. E está por todo lado, pra quem tiver olhos que gostam de observar as coisas.  Porque bem ali, naquele pequeno brotinho de um galho seco, onde se achava que não havia mais vida, eis que a vida ressurge. Singela, porém, plena. Aquele pontinho verde em uma árvore aparentemente morta. De uma mata em que se viam apenas troncos ressequidos e galhos emaranhados. Pouco a pouco, muitos outros,  e o verde em vários tons passa a preencher a paisagem de Esperança. E os olhos da gente,  então, mergulham esse mistério.  E nos convidam a olhar para o futuro e seguir em frente. E esses mesmos olhos nos relembram que importa-nos também nascer de novo.

Mas isso é pra gente que gosta de observar as coisas...


P.S.: Este lugar lindo é o Bayou Bend Collection and Gardens/ The Museum of Fine Arts, Houston

quarta-feira, 26 de março de 2014

Silêncio

Há quase três meses, não recebo uma ligação  do Brasil.
Uma ligação de todos os dias.
Meu telefone está em silêncio... Não o ouço tocar. Não ouço a voz mais presente da minha vida do outro lado da linha.
Silêncio.
Suas palavras eram meu pão diário, e faziam parte da minha rotina. 
Ora corriqueiras, triviais, falando de coisas simples; ora sábias e profundas, me ensinando o mais importante dessa vida. Sempre, uma doce voz, uma doce palavra...

"E agora, José? Sua doce palavra.... e agora?"

Ah, pai, como me fazem falta suas palavras...
E elas silenciaram para sempre no dia 14 de janeiro.
Ainda não consigo acreditar que o senhor não vai me ligar mais. Pra saber das meninas, perguntar do meu dia, se eu vi o que disse Bill O'Reilly na FoX News... Não vai me ligar pra saber se eu sei o que é "drift", "spare", "shed" ou qualquer outra palavra que o senhor sabia e eu não..., se eu ouvi o que o democrat so-and-so  falou - e que é um absurdo, por sinal! - se eu vi o último discurso do Rick Perry... 
Não vai me ligar pra saber com está o clima aqui e falar que ama o frio... Como vai o Christiano no novo hospital... 
Todo o  dia. Pai, todo o dia é muita coisa, sabe? E todo o dia faz seu silêncio doer mais. 
Não, pai, isto que escrevo não é um tributo `a sua vida. Isso ainda não consigo fazer... Isso é apenas uma satisfação que dou aos meus poucos e fiéis leitores. Pra que eles saibam o motivo do meu silêncio. Porque o meu silêncio é fruto do seu, como minha vida é fruto da sua.

Um tributo `a sua vida, pai, merece um blog inteiro. Ou melhor, um livro. Porque disso o senhor gostava muito. E foi um dos seus pedidos, né? Que não jogássemos fora seus livros. 

"E agora, José, sua biblioteca?... e agora?"

Está bem guardada, pai. Como estão bem guardadas suas palavras, seus ensinamentos e seus exemplos. Exemplo de homem que mais amou nessa vida.  Que me ensinou que AMOR é coisa que se demonstra e não coisa que se sente. Que sentir amor sem demonstrar é o maior erro dessa vida. AMOR sentido é AMOR vivido. E eu fui amada. E mais do que isso, eu me senti amada. E também minha família, meu marido, minhas filhas. 
Obrigada, pai. Porque o senhor amou em ações e não só em palavras.
Obrigada, pai, porque o seu silêncio não te apaga da minha vida. O seu silêncio me machuca, me maltrata. Mas o seu AMOR, esse o senhor deixou pra mim. 
E esse... não morre nunca.


"Mas, você não morre! Você é duro, José!"




"O amor jamais acaba." 
1 Co. 13.8


José Abdala Tuma Neto
* 24/11/1949
† 14/01/2014