quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Adeus, Ano Velho

Eu queria dizer que 2014 foi o ano que meu marido recebeu sua sonhada licença médica americana e começou a atuar como anestesista nos Estados Unidos. Mas foi o ano que eu perdi meu pai.
Eu poderia dizer que 2014 foi ano que troquei de visto para um melhor. me mudei pra uma casa no subúrbio, com quintal no fundo e crianças brincando na rua. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
Eu bem que gostaria de dizer que 2014 foi o ano que minha filha se formou na High School, como nos filmes. Que ela foi ao baile, como nos filmes e que foi a mais linda entre todas as colegas. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
 2014 foi ainda o ano que minha filha mais velha começou a faculdade dos sonhos e saiu de casa, dando um passo importantíssimo na vida dela. Mas, foi o ano que perdi meu pai.
 2014 foi o ano em que fiz grandes novas amigas e estreitei os laços com as velhas.  Foi o ano que minha filha do meio aprendeu a ler de verdade e está lendo vorazmente! 
2014 foi o ano que assumi meu lado Amélia em tempo integral, sem medo e sem (muita) culpa. Assei, cozinhei, fiz artesanato e costurei.
2014 foi o ano que me aproximei mais de Deus, assumi mais compromisso com Ele e com as coisas Dele. 
Mas, foi o ano que perdi meu pai.
E por mais que eu tente, por mais que eu queira, por mais que eu me esforce... 2014 foi e sempre será o ano que eu perdi meu pai. E isso me embaça os olhos, me ofusca a visão, me torce a garganta. Isso entorta minhas palavras e me tira o sono. 2014 ecoará pra sempre na minha memória como o ano mais triste da minha vida.
2014, o ano que perdi meu pai. 
Adeus, Ano Velho. 
Que venha 2015 com novidade de vida para todos.  Que venha uma nova perspectiva para todos nós. Que eu consiga olhar pra trás e dizer:

 2014, o ano que meu pai foi pro céu. 

E assim, fica mais fácil ser feliz.

Feliz Ano Novo!