quarta-feira, 30 de março de 2016

Bleh

Sabe aqueles dias da vida da gente que se não tivessem existido não fariam diferença?
Pois é, hoje foi assim.
Um dia bleh.  Tudo que eu programei fazer não deu certo. Na verdade, nem programei nada.
O mais do mesmo.
Tem dia que cansa.
Lancheira pra arrumar e desarrumar.
Menino pra levar e buscar.
Roupa pra lavar - secar - dobrar - guardar.
Sensação de não produzir nada diferente.
Trem sem graça essa vida.
***
Hoje minha imagem no espelho revelou cabelos brancos como nunca antes na história desse país.
Minha comida ficou sem sal.
Minha cachorra estraçalhou o bichinho de pelúcia deixando seus 1328 restos mortais de espuma esparramados pelo carpete recém-aspirado.
Minha grama tá tão alta que meu jardim da frente parece uma plantação de arroz. Mas a máquina de cortar grama pifou.
***
Ainda não sei onde quero chegar com esse post. Porque afinal, tem dois meses e meio que não posto nada e quando finalmente apareço, só tem mimimi.
Gosto de encorajar o povo, de fazer rir, dizer coisas com sentido. Metida a filósofa. Sou dessas.
Me incomoda um pouco despejar as frustrações em palavras e abrir para o mundo ouvir.
Mas talvez por isso mesmo é que escrevo hoje.
***
Talvez - só talvez - eu queira dizer pra mim mesma que não sou perfeita.
Não sou feliz o dia todo.
Não sou feliz todos os dias.
Tem dia que grito com minhas filhas como prometi que nunca gritaria.
Tem dia que acho chato cozinhar.
Tem dia que acho um saco cuidar da roupa da casa. Opa. Isso é todo dia.
Tem dia que é tudo ao mesmo tempo.
Acho que hoje foi o dia.
Talvez - só talvez  - eu queira dizer pra mim mesma que pelo menos um post no blog teve.
E também uma boa conversa .
***
Mas, hoje amanheci meio  sem graça.
E vou dormir meio sem graça.
***
Sei lá, tem dia que deve ser assim mesmo.
Sem muita lição de vida.
Sem muito conselho.


Um dia meio bleh.